PUBLICIDADE

'Errado é ser hétero e ter várias amantes', diz Tadeu Schmidt sobre filhos LGBTQIA+

Em entrevista, apresentador do BBB e pai de jovem queer falou como é ser aliado da comunidade

21 jun 2024 - 10h28
(atualizado às 13h39)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Tadeu Schmidt, pai de jovem queer, refletiu sobre questões da comunidade LGBTQIA+ em entrevista e afirmou: "Errado é trair, é você ser um casal hétero e ter várias amantes. Errado é ser desonesto, ser mentiroso."
Tadeu Schmidt apresenta o 'Big Brother Brasil', reality show da Rede Globo. FOTO Globo/Paulo Belote
Tadeu Schmidt apresenta o 'Big Brother Brasil', reality show da Rede Globo. FOTO Globo/Paulo Belote
Foto: Globo/Paulo Belote/Divulgação / Estadão

O apresentador do Big Brother Brasil, Tadeu Schmidt, acredita que a sociedade esteja se tornando menos preconceituosa com a comunidade LGBTQIA+. Pai de Valentina, que há dois anos se declarou queer, ele afirma não ver "nada errado" com as pautas de diversidade e afirmou que é "errado é ser hétero e ter várias amantes".

"Não tenho a pretensão de ver esse futuro, mas imagino que daqui a 200 anos vão olhar para trás e pensar 'meu Deus do céu, no século 21 as pessoas se importavam com a orientação sexual dos outros por quê?'", questionou em entrevista à Quem publicada nesta sexta-feira, 21.

Tadeu, de 49 anos, que no próximo mês apresentará o Central Olímpica ao lado de Fê Garay, como parte da cobertura dos Jogos Olímpicos de Paris, na Globo, explicou ter crescido "numa sociedade homofóbica. Sou de uma geração absolutamente homofóbica, que ia para o estádio e atacava o outro por xingamentos homofóbicos, que fazia piada homofóbica, que criticava alguém e falava assim 'ah, fulano tem sucesso, mas é gay, né?', como se isso fosse um problema", lembrou.

"Não existe absolutamente nenhuma questão para você pensar assim 'caramba, mas como assim são gays, são lésbicas, eles são trans, mas, ah por que...'", continuou o jornalista. 

Aos pais e mães com dificuldades em aceitar filhos queer -- pessoa com identidade de gênero ou orientação sexual que não corresponde a padrões sobre sexualidade e gênero --, como o caso de Valentina, Tadeu pediu para apoiarem em suas descobertas.

"Para os pais que estão passando por esse momento de descoberta: não tem nada de errado. Não tem porque você ficar se preocupando, criticando. Não existe nada de errado na orientação sexual da pessoa. Isso diz respeito a ela (...) Errado é trair, é você ser um casal hétero e ter várias amantes. Errado é ser desonesto, ser mentiroso", finalizou. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade