PUBLICIDADE

Mulher é acusada de capacitismo e racismo ao negar passagem a cadeirante em ônibus

Polícia Civil registrou o caso e trabalha para para esclarecer os fatos

9 jun 2023 - 19h30
Compartilhar
Exibir comentários
Mulher foi acusada de racismo e capacitismo
Mulher foi acusada de racismo e capacitismo
Foto: Reprodução/Redes sociais

O estudante de direito angolano Angelino Cassova, que é cadeirante, acusa uma mulher de capacitismo e racismo após ela negar passagem a ele dentro de um ônibus em Curitiba, no Paraná. A situação foi gravada por passageiros e repercutiu nas redes sociais nesta semana.

O caso aconteceu na última terça-feira. O vídeo mostra Angelino pedindo passagem no corredor do ônibus, onde a mulher está de pé, porque ele precisa descer no próximo ponto. A mulher nega passagem e outras pessoas a criticam. Ela diz que “não está na floresta” e que “não tem culpa”.

Angelino usou o Instagram para falar sobre o caso. Ele diz que a mulher usou uma “expressão codificada, que muitos racistas usam” ao falar de “floresta”. Ele acredita que ela quis chamá-lo de “macaco” com a frase.

“Fui muito pacífico e quem me conhece de perto [sabe] que não reajo logo e parto para cima. Sou muito na minha e práticas como esta eu tratarei em um fórum diferenciado. Racistas terão seu verdadeiro casebre daqui para frente. Tenho dito”, disse Angelino Cassova em relato.

A Polícia Civil está investigando o caso e realiza diligências para esclarecer os fatos. A mulher não teve a identidade revelada. O caso foi registrado pelo 4º Distrito da PCPR na capital.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade