PUBLICIDADE

Jovem que estava desaparecida há 2 dias é encontrada morta e enrolada em tapete

Damaris Almeida foi encontrada morta no banheiro de seu apartamento em Itaquera, zona leste de São Paulo. Noivo da vítima está desaparecido

10 nov 2023 - 10h23
(atualizado às 14h00)
Compartilhar
Exibir comentários
Damaris Almeida foi encontrada morta em seu apartamento na zona lesta de São Paulo
Damaris Almeida foi encontrada morta em seu apartamento na zona lesta de São Paulo
Foto: Reprodução/Facebook

O corpo de uma jovem de 27 anos foi encontrado dentro do banheiro e enrolado em um tapete, na tarde de quinta-feira, 10, no bairro Itaquera, na zona leste de São Paulo. Damaris Almeida estava desaparecida desde o início da semana, e foi encontrada morta pelo cunhado, que entrou no imóvel com a ajuda de um chaveiro. O noivo da vítima sumiu. A suspeita é de feminicídio

De acordo com o Cidade Alerta, da Record TV, ela trabalhava como recepcionista de um hotel da capital paulista, e morava há cinco anos com o noivo. A última vez que a mãe falou com a jovem foi na noite de terça-feira, 7, por um aplicativo de mensagens. Já o noivo, não é visto desde o dia anterior. 

Violência contra mulher: conheça os 5 tipos Violência contra mulher: conheça os 5 tipos

Na quinta, o irmão do noivo decidiu ir até o apartamento onde o casal vivia, após vizinhos avisarem sobre o mau cheiro. Ele chamou um chaveiro e ao abrir a porta, encontrou o corpo de Damaris enrolado em um tapete. Seu irmão não estava no local. Além disso, o imóvel estava com as janelas cobertas por lençóis e cobertores. 

Ouvido pela emissora, o irmão da vítima, Gabriel Almeida, contou que há alguns dias, a jovem pediu para ficar na casa da mãe. “Eles sempre brigavam, e ela ia para a casa da mãe”, declarou o rapaz. No entanto, ele afirma que o relacionamento era normal. 

Ele também relatou que no imóvel foram encontrados vários entorpecentes, e o companheiro da vítima era usuário. De acordo com a TV, a polícia acredita que ela tenha sido asfixiada e suspeita de feminicídio. 

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo informou que O caso citado é investigado pelo 64° DP (Cidade AE Carvalho), e que a polícia realiza oitivas com testemunhas para esclarecer o crime. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade