PUBLICIDADE

Idoso de 72 anos é indiciado por estupro de neta de 5 em MG; avó e mãe vão responder por omissão

Homem, que é pastor, foi preso em flagrante no início de março

2 abr 2024 - 18h10
(atualizado às 20h05)
Compartilhar
Exibir comentários
Polícia Civil de Minas Gerais
Polícia Civil de Minas Gerais
Foto: Reprodução/Agência Minas Gerais

A Polícia Civil de Minas Gerais indiciou o idoso de 72 anos, cujo nome não foi revelado, pelo estupro da neta de 5 anos. Além dele, a mãe da menina e a avó também foram indiciadas por omissão. O suspeito foi preso em flagrante no dia 11 de março. 

A conclusão do inquérito policial foi anunciada nesta segunda-feira, 1º. Em depoimento, a mãe da menina contou que já havia ocorrido dois episódios anteriores, um deles há oito meses, e que cogitou denunciar, mas que a avó teria desacreditado a fala da criança, pois o idoso era pastor. Além disso, o caso poderia causar um “grande escândalo”. 

Há cerca de um mês, o suspeito teria voltado a cometer o crime, e a mãe percebeu o novo abuso após buscá-la na residência dos avós. Segundo a delegada Lia Valechi, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), a mãe da menina notou um ferimento na parte íntima da menina, que contou sobre a violência sexual. Foi quando ela resolveu denunciar. 

“O que chama a atenção é que, mesmo diante do relato de abuso sexual, a mãe continuou permitindo e deixando a criança na companhia do avô", disse a delegada. “A avó, a quem eram confiados os cuidados com a criança, também permitiu que ela continuasse tendo contato com o avô". 

Por esse motivo, segundo a delegada, tanto a mãe quanto a avó foram indiciadas pelo delito de estupro de vulnerável, na modalidade omissiva, por terem o dever de evitar o novo crime e não o fizeram.

O Terra entrou em contato com a Polícia Civil para saber o que houve com a criança e se a mãe e a avó estão presas ou em liberdade, mas ainda não recebeu retorno. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade