PUBLICIDADE

Bruno Krupp: mais de 40 mulheres acusam modelo de assédio

Priscila Trindade, que o denunciou por estupro, alega que recebeu relatos semelhantes de outras mulheres

4 ago 2022 - 11h29
(atualizado às 13h51)
Ver comentários
Bruno Krupp
Bruno Krupp
Foto: Divulgação

Antes de ser preso por atropelar e matar um adolescente no Rio de Janeiro, o modelo Bruno Fernandes Moreira Krupp, de 25 anos, já havia sido acusado de estupro em julho deste ano. Segundo a vítima, ao relatar o caso nas redes sociais, pelo menos outras 40 mulheres relataram ter sofrido situações semelhantes com o rapaz.

"Passei todos estes anos me sentindo culpada e envergonhada por tudo que aconteceu. Hoje, diante do atropelamento que matou um jovem inocente, me senti na obrigação de expor o crime do qual fui vítima, justamente para encorajar outras mulheres a denunciarem, frear esses comportamentos por parte dele e evitar que outras pessoas também passem por situações semelhantes", disse Priscila Trindade, de 28 anos, ao jornal O Globo.

De acordo com a ocorrência, ela e o modelo se conheceram através de amigos em comum. Depois de alguns flertes, diz a vítima, ela aceitou e até a casa dele em Niterói para que, então, pudessem ir a uma festa. 

Ao chegar na casa da família de Bruno Krupp, Priscila disse que o rapaz a deixou com dois amigos para irem ao evento, com a justificativa que chegaria mais tarde. Por volta de 03h00 daquele dia, quando já estava na festa havia algumas horas, Bruno teria aparecido. Com sono, ela diz ter pedido que o modelo a levasse para casa.

Cerca de três horas depois, o rapaz estaria bêbado e a pegou à força.

"Eu falei várias vezes para ele parar e ele literalmente me forçou. Depois de muito relutar eu simplesmente cedi e foi horrível. Me senti um objeto", relatou.

No Instagram, a jovem contou ainda que, no meio do ato sexual, Bruno Krupp pegou um celular e tentou filmá-la totalmente nua.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade