PUBLICIDADE

Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank têm outras duas ações na Justiça por racismo

Casal espera que sentença seja proferida a qualquer momento contra Dayane McCarthy. A acusada não foi localizada pela Justiça

2 ago 2022 - 11h57
(atualizado às 15h24)
Ver comentários
Publicidade
Giovana Ewbank e Bruno Gagliasso são pais de Titi, Bless e Zyan.
Giovana Ewbank e Bruno Gagliasso são pais de Titi, Bless e Zyan.
Foto: Instagram/@gioewbank / Estadão

Os atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank têm dois processos na Justiça relativos a outro ataque racista contra a filha do casal, Titi, em novembro de 2017. As ações, uma na esfera Cível e outra na Criminal, são contra Dayane Alcantara Couto de Andrade, conhecida como Day McCarthy.

Ela foi a uma rede social para proferir ofensas racistas contra a filha de Gagliasso e Ewbank, chamando a criança de "macaca" com "cabelo horrível, de bico de palha" e "nariz de preto". As informações são do jornal O Globo.

Segundo o advogado do casal, Alexandre Celano, o maior problema das ações foi localizar Dayane e, por isso, ela foi julgada à revelia. "Tivemos uma dificuldade muito grande para encontrá-la e conseguir citá-la. Não foi possível. Então, a citação por edital foi feita", disse o advogado ao O Globo.

Celano contou que a acusada inicialmente disse que estava no Canadá. Depois foi localizada na Europa e, agora, está nos Estados Unidos.

Na esfera Cível, as três vítimas das ofensas racistas de Day pedem R$ 180 mil em indenizações. Já na criminal, ela será julgada por crime de racismo, que é considerado hediondo, inafiançável e imprescritível.

Caso ocorreu em 2017

Bruno Gagliasso prestou queixa contra Day McCarthy em novembro de 2017, socialite que fez ataque racista a Títi, sua filha com Giovanna Ewbank, chamando-a, entre outros insultos, de "macaca". Na época, o caso foi registrado na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), na Cidade da Polícia, localizada na Zona Norte do Rio. 

"Eu espero que aconteça justiça é por isso que eu estou aqui, como pai e como cidadão. É um crime e ela precisa pagar pelo que ela fez. É uma criminosa e eu acho que o mais importante de tudo é que eu estou aqui", afirmou o ator na ocasião.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade