PUBLICIDADE

Brasil Game Show completa 15 anos; veja números da feira brasileira de games

2,8 milhões de pessoas já passaram pela Brasil Game Show ao longo da última década e meia

6 jun 2024 - 10h34
Compartilhar
Exibir comentários
BGS inicia a celebração dos seus 15 anos com um balanço dessa primeira década e meia do evento
BGS inicia a celebração dos seus 15 anos com um balanço dessa primeira década e meia do evento
Foto: Divulgação / Brasil Game Show

A Brasil Game Show (BGS) chega ao seu 15º ano em 2024, com muita história para contar e cheia de planos. Em uma década e meia de existência, o principal evento de games da América Latina e segundo maior do mundo, se consolidou com números impressionantes, momentos inesquecíveis e grandes conquistas que reforçam a importância e a relevância desse encontro anual para os gamers e a indústria de entretenimento digital.

“Relembrar tudo o que vivemos nesse período é uma verdadeira viagem pela linha do tempo da indústria dos games no Brasil”, destacou Marcelo Tavares, criador e CEO da Brasil Game Show. “Desde o início, nosso objetivo foi proporcionar aos gamers uma experiência única, que eu, como gamer, sonhava em ver no país. Acompanhar a evolução da BGS e perceber que a feira se tornou uma referência global nesse setor é algo verdadeiramente gratificante e motivo de muito orgulho”.

Como forma de celebrar essa trajetória e o que ainda está por vir, a Brasil Game Show apresentou um grande balanço desses 15 anos, dividido em 15 fatos memoráveis.

1 – Milhões de pessoas pelos pavilhões de exposição 

Nesses 15 anos, passaram pela feira 2.829.388 pessoas, um número maior do que a população de 25 das 27 capitais brasileiras (incluindo Distrito Federal). Esse total de visitantes também representa aproximadamente o número de cidadãos de países como Jamaica, Armênia e Lituânia, e seria suficiente para lotar mais de 35 estádios do Maracanã, que atualmente comporta 78.838 torcedores.

2 – Espaço a perder de vista

Desde 2009, a soma das áreas de exposição da Brasil Game Show corresponde a 789 mil metros quadrados, o equivalente a mais de 95 campos de futebol e maior do que países como Bahrein (786 mil m²) e Singapura (734 mil m²). Ao longo desses 15 anos, o evento foi realizado em quatro lugares, sendo que até 2011 ele era sediado no Rio de Janeiro e a partir de 2012 migrou para São Paulo. Entre os pavilhões de exposição mais utilizados, destaca-se o Expo Center Norte, que recebeu a BGS nove vezes e segue como local oficial da feira.

3 – Presença das principais empresas do universo gamer

Nesses 15 anos de evento, mais de 2.700 empresas passaram pela feira. Entre elas, as maiores referências globais em jogos, como Nintendo, PlayStation, Xbox, Sega, Ubisoft, Activision, Epic, EA, Capcom, Warner Bros. Games, Bandai Namco, Hoyoverse, Blizzard Entertainment, Konami, Cd Project e RIOT; as principais fabricantes de hardware, como Samsung, AOC, Dell, Lenovo, AMD, Razer, Logitech, HyperX, NVIDIA, Corsair, Asus e Intel; as maiores organizações de eSports, como Team Liquid, FURIA, Fluxo, paiN Gaming, Loud e miBR; as mais importantes plataformas de conteúdo em vídeo, como YouTube, Twitch e TikTok; e muito mais.

Vale destacar ainda centenas de estúdios nacionais de desenvolvimentos, marcas de lifestyle gamer, empresas focadas em B2B, startups, grandes varejistas, lojas especializadas em artigos geek e gamer, escolas, marcas de simuladores e arcades, grupos de mídia e, claro, diversas empresas não endêmicas que participam da feira para estabelecer novas conexões com os gamers e reforçar suas entradas nesse segmento.

4 – Dois meses de BGS

Quando criada, em 2009, a Brasil Game Show – que na época se chamava Rio Game Show – foi realizada em apenas um dia, mas foi a única vez. Ainda no mesmo ano, a feira teve uma segunda edição, já com dois dias, e esse período foi crescendo junto com a quantidade de atrações. Em 2022, após um hiato causado pela pandemia, a BGS realizou seu evento mais longo, com duração de uma semana inteira, um recorde para a feira que costuma durar cinco dias – sendo o primeiro para convidados, imprensa e VIPs, e os demais para o público geral.  Se somadas todas as edições, foram dois meses (61 dias) de Brasil Game Show.

5 – Grandes nomes da indústria

Até a BGS 2023, mais de 100 convidados estrangeiros já haviam participado da Brasil Game Show, incluindo diretores, produtores, executivos, desenvolvedores, atores, designers e produtores.

Entre todos eles, apenas um esteve ao vivo de forma remota: Ralph Baer, considerado o inventor dos videogames. Responsável pelo Magnavox Odyssey, o primeiro console da história, Baer foi uma das atrações da segunda edição da BGS, realizada em 2009. À época com 87 anos, o engenheiro alemão, que faleceu cinco anos depois, integrou um painel por conferência de vídeo.

A lista de grandes estrelas dos games que estiveram na BGS inclui nomes como Hideo Kojima, lendário designer japonês responsável pelo sucesso do universo Metal Gear Solid e do game Death Stranding; Yoshinori Ono, criador da franquia Street Fighter;  Ed Boon, criador da série Mortal Kombat; Nolan Bushnell, criador do Atari; Charles Martinet, dublador que deu voz ao personagem Mario, da Nintendo; Fumito Ueda, criador de Shadow of The Colossus; John Romero, mente por trás de DOOM; Hidekata Miyazaki, presidente da FromSoftware, de Dark Souls e Sekiro: Shadows Die Twice, Cory Barlog , diretor criativo da Santa Monica Studio e responsável por jogos da franquia God of War, Katsuhiro Harada, produtor da série Tekken, Alexey Pajitnov, criador do Tetris e Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming.

6 – Games ainda não lançados

Um dos grandes atrativos da BGS é a possibilidade de testar jogos, consoles e outros produtos gamer antes mesmo dos seus lançamentos oficiais. Ao longo das 14 edições já realizadas, o público teve a oportunidade de experimentar, em primeira mão no Brasil, um total de 172 games, incluindo títulos “AAA (triple A)” muito aguardados. Entre os destaques estão Super Mario Bros Wonder (2023), Street Fighter 6 (2022), Super Smash Bros. Ultimate (2019), Days Gone (2018), Sekiro: Shadows Die Twice (2018), Assassin's Creed Origins (2017), Forza Horizon 3 (2016), Cuphead (2015), Dying Light (2014), Call of Duty: Ghosts (2013), entre outros.

Além deles, vale destacar a exibição dos até então inéditos Wii U, na BGS 2012; PlayStation 4 e Xbox One, na BGS 2013, e do PlayStation VR, na BGS 2016.

7 - Ampla cobertura da imprensa

Desde a primeira BGS, em 2009, no Rio de Janeiro, o evento credencia e recebe equipes de TV, jornalistas de impressos e online, blogueiros, radialistas e outros profissionais da imprensa tradicional para que levem às suas audiências um pouco do clima, das novidades e atrações do evento. Até hoje, 28.217 jornalistas receberam credenciais para realizar a cobertura completa da Brasil Game Show. Além dos brasileiros, profissionais de toda América Latina, além de Estados Unidos e países da Europa costumam marcar presença na feira.

8 – Um evento também para criadores de conteúdo

Desde 2012, a Brasil Game Show conta com um credenciamento dedicado aos influenciadores. A ideia surgiu quando as plataformas sociais e de streaming ainda não tinham o alcance de hoje, e desde então foi sendo ampliada para atender a esse público – que além de mostrar o evento para seus seguidores, tem uma oportunidade única de encontrar os fãs pessoalmente, criar conteúdo relevante e estreitar relações com as marcas participantes. Ao todo, cerca de 16.600 criadores de conteúdo já foram à BGS com uma credencial VIP oferecida pela feira.

9 – Apoio à cultura do cosplay

Uma tradição da BGS desde a primeira edição é a presença de pessoas que se caracterizam como seus personagens preferidos e interpretam seus movimentos, trejeitos e personalidade pelos corredores do evento. Os cosplayers chamam a atenção do público e têm um lugar de destaque na feira. Ao longo das 13 edições passadas, 8.750 pessoas receberam credenciais de cosplayers, que além de darem acesso a todos os dias de evento, permitem que entrem por um espaço diferenciado e participem dos concursos oficiais da feira.

Tais competições também fazem parte integral da essência da feira, que anualmente conta com um grande palco para que os cosplayers desfilem seus talentos e sejam avaliados por um júri com especialistas, representantes da comunidade e convidados especiais, além do público, claro. Os concursos estão presentes na BGS desde de 2009, em diferentes formatos, e desde então contaram com a participação de 4.096 cosplayers. 

10 – Torneios de esportes eletrônicos

Em 2014, a feira realizou a primeira edição do seu torneio oficial de esportes eletrônicos, à época chamado de Brasil Game Cup. Em 2019, a atração virou BGS Esports, ganhou ainda mais destaque, uma área maior para a torcida, camarote, convidados ilustres e novas premiações.  Pelo palco da BGS Esports já passaram lendas do cenário competitivo e partidas de diversas modalidades, como CS:GO, Free Fire, Valorant e Crossfire.

Ao todo, já foram realizadas 55 competições oficiais de diversos games dentro da BGS. Além dos já mencionados da BGS Esports, outros campeonatos foram realizados nos próprios estandes das marcas patrocinadoras e fizeram história no evento, como o Campeonato Brasileiro de League of Legends, em 2012; uma etapa da Copa do Mundo de Just Dance, em 2015, a final do Capcom Pro Tour Brazil, também em 2015 e o MK, em 2019. 

11 - Avenida dedicada à produção nacional de jogos eletrônicos

Mais do que um evento voltado ao consumo, a BGS é um espaço de celebração à cultura gamer e a todo seu ecossistema. Dessa forma, claro que a indústria de desenvolvimento de jogos precisava ter uma área própria na feira, e esse lugar é a Avenida Indie. Até hoje, 378 estúdios independentes – em sua enorme maioria brasileiros – passaram pelo local e expuseram seus lançamentos para os milhões de visitantes da feira. 

12 – Inclusão do staff da BGS

Respeitar e atender bem a todos os presentes na BGS é uma prioridade e um compromisso do evento, assim como promover a inclusão, a diversidade e a acessibilidade. Nesse sentido, a Brasil Game Show adota diversas iniciativas a cada edição, como a contratação de pessoas com deficiência (PCD) para compor seu staff. Desde 2012, 352 PCDs integraram as equipes de produção e atendimento aos visitantes da feira.

Mais do que isso, anualmente a BGS cede espaços para que organizações sem fins lucrativos interajam com o público da feira e apresentem os seus trabalhos. Já passaram pelo evento a Casa de David, AACD, APAE e CDI, entre outras, que muitas vezes montam caravanas para levar os assistidos a conhecer a BGS, incluindo pessoas com deficiência intelectual, física e autismo

13 - Arrecadação de alimentos

A BGS também incentiva ações beneficentes, e qualquer visitante da feira pode entrar no evento pagando meia-entrada mediante à doação de 1kg de alimento não perecível. Essa é uma prática tradicional da feira, que já arrecadou mais de 547 toneladas ao longo de suas 13 edições. Essa quantidade de comida é suficiente para encher 79 caminhões de mudança, e já ajudou milhares de crianças, jovens e adultos de ONGs como Casa Ronald McDonald, Casa de David, Médicos Sem Fronteira, Social Bom Jesus e Casas André Luiz.

14 - Itens no túnel do tempo

A história dos videogames é muito rica, extensa e repleta de produtos que marcaram época. Marcelo Tavares, CEO e fundador da BGS, é também o dono de uma das maiores coleções de videogame do Brasil, e conta com mais de 3.000 itens entre consoles, controles, jogos e acessórios.

Ao longo desses anos todos de BGS, muitos objetos da coleção particular de seu fundador foram exibidos e até disponibilizados para testes em áreas especiais da feira. Foram mais de 1.120 itens expostos em dez das 14 edições já realizadas. Além do aspecto da curiosidade, a atração representa uma verdadeira viagem pelas oito gerações de consoles da indústria.

15 – Lembranças do maior evento de games da América Latina

Momentos mágicos continuam especiais por muito mais tempo quando atrelados a objetos que despertam boas memórias. Nesse sentido, a BGS Store, presente na feira pela primeira vez em 2011, cumpre um papel fundamental. Mais de 520 produtos diferentes já foram criados e comercializados para os visitantes da principal feira de games da América Latina. Só em 2023, mais de 13.300 artigos foram vendidos ao longo dos cinco dias de Brasil Game Show.

Brasil Game Show 2024

A edição de 15 anos da Brasil Game Show será realizada entre os dias 9 e 13 de outubro deste ano, no Expo Center Norte, em São Paulo. O público já pode adquirir ingressos para um ou todos os dias do evento através do site oficial. Mais novidades sobre atrações e lançamentos serão divulgadas em breve.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade