PUBLICIDADE

Jogamos: Lost Ark quer repetir no ocidente sucesso que obteve na Coreia

Game para PC combina elementos de MMO e RPG de ação

17 nov 2021 14h14
ver comentários
Publicidade
Lost Ark
Lost Ark
Foto: Smilegate / Divulgação

Atualmente um dos games mais jogados na Coreia do Sul, sua terra natal, o RPG online Lost Ark finalmente teve uma versão beta lançada deste lado do mundo no começo de novembro. O Game On teve a oportunidade de participar do período de testes e descobrir os encantos do jogo que mistura elementos de MMO e RPG de ação - e se ele tem o que é preciso para repetir o sucesso por aqui.

No ocidente, o MMORPG desenvolvido pela Smilegate é publicado pela Amazon Games e chega cheio de elementos nostálgicos para os fãs do gênero, como a adorada visão isométrica (com a câmera posicionada no alto, tornando o cenário distante, porém com todos os seus detalhes visíveis, criando a impressão de que o jogo é 3D, mas na realidade ele é 2D) bem conhecida de jogos como Diablo e Path of Exile, entre outros.

Classes de personagem em Lost Ark
Classes de personagem em Lost Ark
Foto: Smilegate / Divulgação

O jogador pode criar seu personagem escolhendo entre cinco classes principais: Warrior (Guerreiro), Martial Artist (Artista Marcial), Gunner (Atirador), Mage (Mago) e Assassin (Assassino) e cada uma possui subclasses, que podem ser consideradas especializações. Ao todo, são oferecidas 15 opções ao jogador na hora de criar o personagem, mas as customizações são escassas, visto que o jogo possui o fator “gender lock” (tornando obrigatória a seleção de uma classe/subclasse vinculada ao gênero masculino ou feminino, como é o caso dos Guerreiros e Artistas Marciais): há uma subclasse caso você decida jogar com um menino, outra caso escolha ser uma menina.

Curiosamente, na versão coreana de Lost Ark, mais atualizada, essas restrições já não existem. Será legal se a versão final do game ocidental já chegar atualizada.

Muita ação!

Ambientado em um mundo de fantasia dividido em sete continentes únicos repletos de beleza, denominado Arkesia, Lost Ark coloca o jogador como O Escolhido, aquele capaz de derrotar as forças demoníacas das Trevas que retornam de um passado longínquo e que buscam tomar posse do reino, se conseguir encontrar um poderoso artefato perdido, a tal Lost Ark do título. A originalidade do enredo não é exatamente o ponto alto do game, que se destaca mesmo pelas mecânicas de jogo recheadas de ação.

Esqueça as teclas WASD ou as setas do teclado: o mouse é o seu maior aliado em Lost Ark, pois sua movimentação e mira vêm dele, enquanto as habilidades podem ser invocadas através do teclado, com as teclas QWERASDF. O game oferece suporte para controle, então o jogador possui algumas opções confortáveis para se aventurar. Ao subir de nível, além de aumentar seus status, é possível gastar pontos em uma “árvore de habilidades” para aumentar o poder de cada uma e até mesmo desenvolver sub-habilidades.

Como outros jogos populares no mercado oriental, Lost Ark esbanja efeitos de explosões e luzes, além das já características feições de NPCs. Sua beleza é inegável, os cenários são extremamente detalhados e bem iluminados, o que pode passar a ideia de se tratar de um jogo “pesado”, que vai exigir um computador poderoso para rodar sem engasgos. Muito pelo contrário, o game é bem otimizado e roda suave até mesmo nos PCs mais fracos. A trilha sonora é agradável e adiciona dinamismo às partidas, com tons mais sombrios nas missões principais.

Há um senso de urgência no modo história: o tempo é escasso para encontrar a Lost Ark, mas na prática não rola uma pressão para o jogador se manter na linha das missões principais. As missões secundárias geralmente são coletadas no caminho e podem ser cumpridas e entregues em menos de 10 minutos, o que é ótimo para manter o foco de quem busca se aprofundar na trama do game.

Sem localização brasileira

O acesso dos jogadores brasileiros ao beta de Lost Ark foi feito via distribuição de chaves do jogo e drops em transmissões na Twitch, mas até o momento o RPG não tem nenhuma localização para nosso idioma, nem legendas ou dublagem. Não é de hoje que os fãs brasileiros esperam pelo lançamento ocidental, afinal o jogo conta com muitos dos pontos fortes já consagrados entre os gamers brasileiros. Tomara que até o lançamento, em 2022, a Amazon e a Smilegate providenciem uma versão devidamente localizada para nosso país.

Exclusivo para PC, Lost Ark chega ao ocidente em 31 de março de 2022. Já é possível fazer a compra antecipada no Steam, em pacotes com preços que variam de R$83,49 até R$556,99.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade