PUBLICIDADE

Com a evolução dos consoles, decreta-se o fim de uma era?

Seria esta a última geração dos aparelhos de videogame como os conhecemos?

19 nov 2015 10h00
ver comentários
Publicidade

Nós conhecemos os consoles, fliperamas, videogames portáteis e até celulares, que de uns anos para cá passaram a ser utilizados também para jogos. Mas, e daqui para frente? O que nos espera? De 1967 até 2015 diversos acontecimentos marcaram a história, inclusive o desenvolvimento da tecnologia utilizada nos videogames:

Com início em 1967, os consoles evoluíram muito com o passar dos anos
Com início em 1967, os consoles evoluíram muito com o passar dos anos
Foto: Instagram/@gutsy_pete / Reprodução

 

1ª geração: Lançado como protótipo em 1967, o console Brown Box foi comercializado com o nome de Magnavox Odyssey

 

2ª geração: Na década de 1970, surgiu o Atari 2600 com os jogos Pacman e Space Invaders, que em pouco tempo virou febre

 

3ª geração: A Nintendo apareceu apenas na década de 1980, com o console Nintendo Entertainment System (NES) e os games Mario Bros e Zelda

 

4ª geração: Foi nessa época que a disputa começou com o lançamento do Super Nintendo e Sega Genesis

 

5ª geração: Não querendo ficar para trás, a Sony criou o Playstation em 1994, que passou a duelar com o Nintendo 64, a partir de 1996

 

6ª geração: Com a virada do século, a Microsoft chegou ao mercado com o Xbox, cujo concorrente foi, principalmente, o Playstation 2

 

7ª geração: Apesar da batalha começar na 6ª geração, foi apenas em 2007 que ela ganhou força com o Xbox 360 e o Playstation 3. A Nintendo tentou recuperar sua posição com o Wii, mas não conseguiu

 

8ª geração: Atualmente a disputa se dá entre o Playstation 4 e Xbox One, deixando para trás o Nintendo Wii U

 

Em um mundo no qual a tecnologia evolui a cada segundo, não é difícil de imaginar que o que hoje consideramos altamente moderno, logo será considerado obsoleto.

 

Alguns especialistas acreditam que estejamos vivendo a última geração dos consoles, visto que, com o armazenamento em nuvem, a distribuição dos games deverá ser feita pela internet, por meio de streaming.

 

A super nuvem, porém, talvez esteja um pouco longe de pairar sobre os gamers tão cedo, pois, com a pirataria, as desenvolvedoras precisar se preocupar primeiro em criar um sistema anti-pirataria para, assim, revolucionar o mundo dos games com a distribuição exclusivamente digital.

 

Por enquanto, a perspectiva é de que a realidade virtual, já utilizada no Xbox, por exemplo, seja aprimorada nas futuras gerações de consoles, afastando os usuários dos controles e fazendo com que eles se sintam, cada vez mais, parte do jogo.

 

Fonte: Dialoog Comunicação
Publicidade
Publicidade