PUBLICIDADE

Terminator: Resistance ganha nova chance nos consoles atuais

Game de tiro ambientado no universo do Exterminador do Futuro chega às plataformas contemporâneas - e merece sua atenção

13 nov 2023 - 09h34
Compartilhar
Exibir comentários
Terminator: Resistance traz game de 2019 e suas duas DLCs para consoles atuais
Terminator: Resistance traz game de 2019 e suas duas DLCs para consoles atuais
Foto: Reef Entertainment / Divulgação

Terminator: Resistance - Complete Edition é a versão definitiva do game desenvolvido pela Teyon e publicado pela Reef Entertainment, trazendo o jogo original e suas DLCs, Infiltrator Mode e Anihilation Line, para os consoles atuais. É uma ótima oportunidade para muita gente experimentar um jogo que, na minha opinião, sempre recebeu menos atenção do que deveria.

O jogo foi lançado originalmente em 2019 para PC, PlayStation 4 e Xbox One e chega agora consoles PS5 e Xbox Series X/S.

Terminator: Resistance

A campanha de Resistance acompanha a jornada de Jacob Rivers, um soldado da Resistência, grupo clandestino que luta contra a Skynet e seus robôs em um  futuro sombrio em que a humanidade foi praticamente dizimada pelas máquinas. A trama é simples, mas bem mais interessante do que Exterminador do Futuro: A Salvação, filme de 2009 estrelado por Christian Bale.

A Teyon faz um uso muito bom da licença de Terminator, criando uma ambientação que apela para os fãs da franquia cinematográfica, e os leva na busca de Rivers atrás de um robô Infiltrador, responsável por eliminar seus colegas de esquadrão.

Resistance é um jogo de tiro e ação em fases grandes e abertas, em que o jogador tem liberdade para explorar as ruínas e cumprir missões secundárias simples para outros sobreviventes, destruir recursos da Skynet e enfrentar robôs variados que patrulham o lugar em busca de humanos (ou tentar passar despercebido por eles, altamente recomendável em mais de uma situação).

O tiroteio é a melhor parte de Terminator: Resistance, que também tem momentos de furtividade
O tiroteio é a melhor parte de Terminator: Resistance, que também tem momentos de furtividade
Foto: Reef Entertainment / Divulgação

A munição é escassa, o que faz com que a coleta de recursos para produzir itens em bancadas localizadas em pontos estratégicos, seja algo que esteja sempre na mente do jogador. Há portas para destrancar, paredes para explodir e novas armas para coletar. Conforme progride, Jacob ganha níveis de experiência e pontos para adquirir habilidades secundárias melhores, tornando-se um combatente mais apto para sobreviver no futuro sombrio de Terminator: Resistance.

A narrativa é bem simples, com diálogos com poucas opções (e tudo legendado em português), nada que se compare aos jogos similares produzidos por estúdios maiores, como a Bethesda e Ubisoft. A semelhança com Fallout e Far Cry está ali, mas a escala é muito menor, assim como as opções de 'gameplay'.

A Complete Edition não atualiza nenhuma mecânica de jogo em relação ao que já foi feito na edição lançada em 2019 para os consoles da geração passada, o que pode passar a impressão de um jogo antiquado para muitos jogadores. Ainda assim, há um certo charme inegável em estourar um T-800 com disparos de escopeta, principalmente para os fãs de Exterminador do Futuro - e sim, claro que rola um encontro com John Connor.

Linha de Aniquilação

Os implacáveis T-800 são o pesadelo dos soldados da Resistência nos filmes e no jogo
Os implacáveis T-800 são o pesadelo dos soldados da Resistência nos filmes e no jogo
Foto: Reef Entertainment / Divulgação

A DLC Annihilation Line é o ponto alto do pacote. A expansão traz um novo capítulo para a história de Rivers e coloca o protagonista no esquadrão de Kyle Reese, em uma missão arriscada em busca do núcleo da Skynet.

A trama se passa durante a fase final da campanha original, como se fosse uma grande missão secundária - e funciona muito bem como um desvio daquela narrativa, mesmo sem mudar em nada nas mecânicas de jogo. Há cenas de muita ação cinematográfica e um encontro com Reese, o soldado que vai voltar no tempo para salvar Sarah Connor no primeiro filme.

Já o Infiltrator Mode muda um pouco a perspectiva, colocando o jogador no papel de um Exterminador infiltrado em busca de informações sobre a Resistência. É divertido mas dura pouco.

Considerações

O maior mérito de Resistance está em como o jogo amplia a mitologia de Exterminador do Futuro sem desrespeitar o que é visto e dito nos filmes. A Salvação com certeza é um mergulho mais profundo no futuro dominado pela Skynet, mas Resistance acerta ao dar vislumbres da vida das pessoas e soldados mais 'comuns' desse cenário.

Terminator: Resistance - Complete Edition - Nota 8
Terminator: Resistance - Complete Edition - Nota 8
Foto: Game On / Divulgação

Fãs da saga vão se divertir revivendo alguns momentos cruciais da guerra entre a Resistência e a Skynet e enfrentando T-800 em momentos de muita tensão. Por conta de sua simplicidade, o jogo tem um charme quase retrô, que pode apelar para alguns jogadores.

Terminator: Resistance - Complete Edition está disponível para PC, PS5 e Xbox Series X/S.

*Esta análsie foi feita no Xbox Series X, com uma cópia do jogo gentilmente cedida pela Reef Entertainment.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade