PUBLICIDADE

5G será um salto para jogos no Brasil, diz Abragames

País tem mais de mil estúdios de games espalhados por todas as regiões, revela pesquisa

7 jul 2022 - 13h20
Ver comentários
Publicidade
Abragames apresentou dados da indústria brasileira de jogos no BIG Festival
Abragames apresentou dados da indústria brasileira de jogos no BIG Festival
Foto: Abragames / Divulgação

A indústria brasileira de jogos digitais vive seu melhor momento em 2022. É o que indica a pesquisa divulgada nesta quinta (7) pela Abragames (Associação Brasileira de Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais).

Segundo o levantamento, existem mais de mil estúdios produzindo games no país, entre produtoras de jogos para celular, PCs e consoles, realidade virtual e também aqueles que trabalham criando programas de treinamento para empresas e educação, na gamificação de processos de trabalho, entre outras frentes. É um crescimento significativo: em 2018, eram cerca de 375 estúdios, ou seja, houve um aumento de 169% na indústria de jogos digitais brasileira, um sinal do amadurecimento do setor no país, segundo a Abragames.

O Game On conversou com Rodrigo Terra, presidente da Abragames, sobre este cenário e os desafios que o setor tem pela frente. O executivo apontou que além do crescimento no número de empresas da área, a pesquisa traz um dado importante: “Embora 50% dos estúdios estejam em São Paulo e o sudeste concentre a maioria das empresas, hoje há estúdios de games em todas as regiões do Brasil”.

Fora de São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco e o Distrito Federal também despontam com uma grande concentração de desenvolvedoras. O trabalho remoto, impulsionado pela pandemia, ajudou a acelerar este crescimento. “Os estúdios podem ter pessoas trabalhando em qualquer lugar do Brasil”, explicou Terra.

O consumo de jogos durante a pandemia também atraiu a atenção de muitas empresas para o setor e mesmo agora que o isolamento social ficou para trás, o executivo acredita que o setor continuará crescendo. “Os jogos são a linguagem dos jovens e as empresas entenderam que precisam falar com eles”, disse. Para Terra, o segmento  de jogos feito para treinamento e educação é um filão que a indústria brasileira deve explorar cada vez mais nos próximos anos.

Outro elemento importante para o desenvolvimento de jogos no Brasil deu os primeiros passos no país nesta semana: trata-se da tecnologia 5G, recém lançada em Brasília e que deverá chegar a outras capitais em breve.

O 5G será um salto para os desenvolvedores de jogos e para o mercado brasileiro”, apontou Terra. "Não só pela velocidade da banda, mas pela latência, que faz toda a diferença para partidas online, esports e para jogos em nuvem”. Segundo o executivo, a tecnologia permitirá que mais pessoas tenham acesso aos jogos via Cloud, em que não é preciso possuir uma plataforma dedicada (e cara) para jogar. “Vai bastar uma tela e conexão à internet”, completou.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade