2 eventos ao vivo

Dupla russa conquista Mundial de Vôlei de Praia e bate recorde de brasileiro

Ao lado de Krasilnikov, Stoyanovskiy supera alemães Thole e Wickler e se torna o mais jovem jogador a ser campeão mundial

7 jul 2019
12h29
  • separator
  • 0
  • comentários

Os russos Viacheslav Krasilnikov e Oleg Stoyanovskiy conquistaram neste domingo o título do Mundial de Vôlei de Praia, disputado em Hamburgo, na Alemanha. Na decisão, eles derrotaram os alemães Julius Thole e Clemens Wickler por 2 sets a 1, com parciais de 19/21, 21/17 e 15/11, em 1h12min de confronto.

A dupla russa era a terceira cabeça de chave, enquanto a parceria alemã era a 12ª. Na decisão, os russos precisaram conter a pressão da torcida local, diante de um público de aproximadamente 12 mil pessoas, para faturarem a medalha de ouro pela primeira vez no Mundial. Foi o primeiro que jogaram juntos.

Viacheslav Krasilnikov e Oleg Stoyanovskiy superam alemães e são campeões do Mundial de Vôlei de Praia.
Viacheslav Krasilnikov e Oleg Stoyanovskiy superam alemães e são campeões do Mundial de Vôlei de Praia.
Foto: Reprodução/Fivb Twitter / Estadão

A vitória ainda permitiu a Stoyanovskiy quebrar um recorde que pertencia a um brasileiro. Com 22 anos, nove meses e 11 dias, ele se tornou o mais jovem jogador a se sagrar campeão mundial. Dois meses mais velho, André Loyola Stein era o detentor desta marca, obtida no Mundial de 2017, quando foi campeão ao lado de Evandro, em Viena, na Áustria.

Na disputa do terceiro lugar, a medalha de bronze ficou com os noruegueses Anders Mol e Christian Sorum garantiram o lugar no pódio, após decepcionarem na semifinal. Eles eram os principais favoritos ao título. Neste domingo, venceram os norte-americanos Tri Bourne e Trevor Crabb, que formavam a dupla cabeça de chave número 13, por 19/21, 21/15 e 15/10.

Bourne e Crabb haviam sido os algozes dos últimos brasileiros vivos na disputa. No sábado, eliminaram o mesmo André Loyola e George por 2 a 1. Foram os jogadores do Brasil que mais longe foram na competição em que as duplas nacionais costumam brilhar.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade