0

Vice-presidente do Vasco classifica volta do público aos estádios como "irresponsabilidade"

15 jul 2020
08h12
atualizado às 08h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A decisão da Confederação Brasileira de Futebol em iniciar o Campeonato Brasileiro de 2020 no final de semana de 8 e 9 de agosto agradou a direção do Vasco. Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, a segunda vice-presidente do clube, Sônia Andrade, afirmou que já é hora do futebol voltar, para assim as pessoas terem com o que se distraírem.

"O Vasco é a favor (do retorno). A gente está passando por uma situação que é nova para o mundo todo e quando ligamos a televisão, só vemos notícias tristes, como morreu um, tiveram mais não sei quantos infectados e não temos previsão para uma vacina…Então, eu me pergunto: se todo o trabalho é feito de uma maneira comprometida e consciente, porque não permitir que as pessoas tenham uma alegria através do futebol?", contou.

(Foto: Reprodução/Instagram)
(Foto: Reprodução/Instagram)
Foto: Gazeta Esportiva

Entretanto, a dirigente vai contra a ideia de que haja público nos estádios. No Rio de Janeiro, a prefeitura autorizou a presença de torcida nos jogos, algo classificado como "irresponsável" por Sônia. Em um primeiro momento, as arenas vão poder receber um terço de sua capacidade, com distanciamento de 4m² por pessoa e vendas online.

"A presidência do clube ainda não tem um posicionamento. Eu, particularmente, sou contra, acho muito precipitado. Porque o mesmo tratamento que eu dou a cada atleta eu vou ter que dar para cada torcedor. Da onde vai sair esse dinheiro das testagens? Acho uma irresponsabilidade liberar o estádio sem que você teste as pessoas que estão entrando. A gente não pode ser irresponsável. E acredito que o Campello também seja contra, pois além de presidente ele é médico", disse.

Sem a presença dos fãs nos estádios, a vice-presidente sabe que o setor financeiro vai ser impactado, principalmente pela falta de bilheteria, mas ela afirmou que acredita no potencial da torcida vascaína para auxiliar o clube neste momento.

"Vai impactar na vida financeira de todos os clubes de futebol. Mas a gente tem feito ações e a torcida tem respondido a todas. O maior patrimônio que o Vasco tem é a torcida. Eles podem não estar lá dentro, mas eles estão com o Vasco", finalizou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade