1 evento ao vivo

Bia Haddad vê futuro promissor no tênis brasileiro e crava: "Ranking de Bellucci não condiz com seu nível"

29 mar 2020
08h14
atualizado às 08h14
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O futuro do tênis brasileiro é promissor. Ao menos essa é a opinião de Bia Haddad, uma das principais tenistas do país. Em entrevista exclusiva concedida à Gazeta Esportiva, a canhota paulista depositou suas fichas no sucesso de Thiago Monteiro, atual 82º colcoado no ranking, e Thiago Wild, joia de apenas 20 anos. A ex-número 1 do Brasil ainda falou a respeito da situação de Thomaz Bellucci, que já esteve em 21º, mas hoje figura-se na 337ª colocação.

"Na minha visão, o Brasil está em uma crescente. O Thiago Monteiro, por exemplo, vem se estabilizando e concretizando o espaço dele entre os 80 do mundo. O Thiago Wild, sem sombra de dúvidas, é um cara que tem muito potencial. Sei que é questão de tempo e confiança para os resultados começarem a aparecer para os dois. O Thomaz (Bellucci) também. O ranking dele não condiz com o nível. Ele é um excelente jogador e sei que tem plenas condições de voltar para o topo do tênis. Além de gostar muito do estilo dele, ele é uma ótima pessoa e eu sei que ele tem potencial para isso", comentou.

Questionada a respeito das expectativas para a categoria feminina, Bia também não poupou elogios às companheiras.

"Já no feminino, nós temos a Luisa Stefani nas duplas, que é uma menina muito bacana e pode ajudar muito o tênis. Tem também a Carol Meligeni e a Ingrid Martins, que veio agora dos Estados Unidos e está já ganhando torneios profissionais", completou.

Por fim, a atleta de 23 anos enxerga uma melhora no nível dos tenistas brasileiro juvenis. De acordo com ela, cada vez mais uma porcentagem maior dos jovens talentos do Brasil vão se concretizar no cenário mundial.

"Tem toda uma garotada que está subindo e mostrando que estão prontos para ganhar de qualquer um. Acho que o importante é isso. Temos que estar sempre renovando e vendo que talentos estão surgindo. A maior diferença que eu enxergo é que antes nós tínhamos diversos atletas juvenis, mas muitos deles não concretizavam", finalizou.

Após se envolver em um caso de doping por contaminação cruzada, faltam pouco menos de dois meses para Bia estar liberada para voltar a atuar profissionalmente.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade