PUBLICIDADE
Logo do São Paulo

São Paulo

Favoritar Time

Possível venda de Beraldo pode ajudar o São Paulo a amenizar déficit e reequilibrar o caixa

17 dez 2023 - 05h04
Compartilhar
Exibir comentários

O São Paulo pode se desfazer de um dos principais jogadores do elenco para amenizar a situação financeira do clube neste fim de ano. Prevendo um déficit, o Tricolor vê aumentar a procura de times europeus por Beraldo e já avalia a possibilidade de vender o zagueiro.

Foto: Divulgação/São Paulo / Gazeta Esportiva

Recentemente, a diretoria são-paulina recusou uma oferta do Zenit, da Rússia, avaliada em 18 milhões de euros (R$ 95 milhões), por entender que o valor poderia aumentar. Já o Leicester, da Inglaterra, acenou com uma proposta de 20 milhões de euros (cerca de R$ 107 milhões na cotação atual) e pode tirar o defensor do Morumbi.

O clube não gostaria de perder o jovem atleta em um futuro breve, mas enxerga com bons olhos a chance de adquirir uma alta quantia e reequilibrar o caixa. O presidente Julio Casares já admite a venda caso receba na mesa uma oferta tida como "irrecusável".

"O futebol é muito dinâmico. Já tivemos propostas no meio do ano e não vendemos, queríamos um time competitivo na Copa do Brasil e deu certo, mas agora a realidade é outra. Se chegar uma proposta que seja irrecusável para o São Paulo e para o jogador, não há como segurar. Mas por enquanto não temos nada mesmo", disse o dirigente.

Em um levantamento feito pelo ge, o São Paulo deve encerrar 2023 com um déficit de R$ 97 milhões, apesar dos R$ 88 milhões que entraram nos cofres do Tricolor com a conquista do título inédito da Copa do Brasil.

A diretoria já esperava fechar as contas no vermelho, pois decidiu segurar a venda de jogadores ao longo do ano para manter a equipe competitiva. O resultado contábil negativo, porém, supera o que o Tricolor havia projetado para este período, que era um déficit de R$ 50 milhões.

Diante desse contexto, uma possível venda de Beraldo pode ajudar. Caso o São Paulo negocie o jogador por cerca de R$ 107 milhões, embolsaria R$ 64 milhões, diminuindo bastante o prejuízo.

O clube não receberia o valor total da operação, já que detém apenas 60% dos direitos econômicos do atleta. Outros 20% pertencem ao próprio zagueiro e a última fatia de 20% está ligada ao XV de Piracicaba, que ajudou na formação do jogador.

Aos 20 anos de idade, o jovem defensor saiu de Cotia para se tornar intocável e um dos destaques do São Paulo. Se o garoto for negociado por esses valores, pode virar o zagueiro mais caro já vendido pelo futebol brasileiro na história. Seu contrato com o Tricolor se estende até agosto de 2028.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Compartilhar
Publicidade
Publicidade