PUBLICIDADE
Logo do

São Paulo

Meu time

Idolatria no Fortaleza, frustração no Cruzeiro e incerteza no Flamengo; como Ceni retorna ao São Paulo

Treinador comandou o São Paulo em 2017, em seu primeiro trabalho com técnico. Desde então, somou títulos e frustrações em outros clubes. Veja a carreira de Rogério Ceni

14 out 2021 07h03
ver comentários
Publicidade

O São Paulo anunciou, na última quarta-feira (13), a contratação do treinador Rogério Ceni. Após chegar a um acordo para o término do vínculo com Crespo, o Tricolor acertou o retorno do técnico que é ídolo do clube como jogador. Ceni volta ao time que comandou em 2017, mas, desde então, a carreira do técnico mudou completamente.

Rogério Ceni treinou o São Paulo em 2017 (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)
Rogério Ceni treinou o São Paulo em 2017 (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)
Foto: Lance!

Em julho de 2017, após eliminação contra o Corinthians no Paulistão, o São Paulo não fazia boa campanha no Brasileirão, ocupando a zona de rebaixamento. Assim, o clube decidiu terminar o vínculo com Rogério Ceni.

Pelo Tricolor, Rogério Ceni esteve à frente da equipe em 35 ocasiões, das quais venceu 14, empatou 11 e perdeu dez, tendo aproveitamento de 51,96%.

Sem clube, Rogério foi contratado, em novembro de 2017, pelo Fortaleza que disputava a Série B do Campeonato Brasileiro.

Em 2018, a consagração. No comando do Fortaleza, Ceni mostrou grande desempenho e conquistou o título da Série B, primeiro título nacional da história do clube. Naquela temporada, o time jogou 56 vezes sob o comando de Ceni, vencendo 33 jogos, empatando nove e perdendo 14, com um aproveitamento de 64,28%.

Como se não bastasse, o treinador conquistou a primeira Copa do Nordeste do time em 2019, entrando para a história do clube. Além disso, foi campeão do Campeonato Cearense daquele ano.

A passagem histórica, porém, teve alguns problemas ainda em 2019. Durante o Brasileirão, com a equipe na luta contra o rebaixamento, Rogério Ceni deixou o comando do Fortaleza e assumiu o Cruzeiro, que também brigava contra o Z4.

Seu tempo no Cruzeiro, porém, seria marcado de maneira negativa. Com apenas 46 dias de trabalho, Ceni esteve à frente da Raposa por somente oito jogos, ganhando apenas três, empatando dois e perdendo três, aproveitamento de 45,83%. Entre as partidas, o time foi eliminado da Copa do Brasil.

Com polêmicas envolvendo seu relacionamento com jogadores, o treinador saiu da equipe e retornou ao Fortaleza. A temporada terminou com o time nordestino se mantendo na Série A, enquanto o Cruzeiro foi rebaixado.

Em 2020, ainda no Fortaleza, conquistou mais um Campeonato Cearense, se tornando bicampeão. Ao todo, pelo time nordestino, Rogério Ceni esteve na beira do campo 153 vezes, conquistando 81 vitórias, 33 empates e 39 derrotas, um aproveitamento de 60,13%.

O ano de 2020 marcou o principal título de Rogério Ceni como treinador. Com a demissão de Domenéc Torrent, o ex-goleiro foi contratado para comandar o Flamengo. Pela equipe carioca, o técnico foi campeão do Brasileirão de 2020, em uma retomada no segundo turno que terminou apenas na última rodada, quando levantou a taça dentro do Morumbi, casa do São Paulo.

Mesmo com o troféu, sua passagem foi marcada por incertezas, problemas fora de campo e instabilidade. Mesmo sendo campeão carioca de 2021, Ceni foi demitido, deixando o clube após 45 partidas, com 23 vitórias, 11 empates e 11 derrotas, aproveitamento de 59,26%.

Até esta quarta-feira, não planejava voltar a trabalhar até o final do ano. Entretanto, o chamado do São Paulo mudou os planos.

Após uma primeira passagem ruim pelo Tricolor, em seu primeiro trabalho como técnico de futebol, Ceni está de volta ao Morumbi. Mais experiente e vitorioso, com passagens campeãs e outras mais conturbadas, o ex-jogador promete desempenho completamente diferente na segunda passagem.

A reestreia do treinador será contra seu antigo rival da época de Fortaleza, o Ceará. O São Paulo enfrenta o Vozão nesta quinta-feira (14), no Morumbi, às 19h, pela 26ª rodada do Brasileirão.

Lance!
Publicidade
Publicidade