PUBLICIDADE
Logo do

Santos

Meu time

Cuca se preocupa até com salário de funcionários do Santos

Técnico mora no CT e ajuda até no extracampo do clube da Baixada Santista

28 ago 2020 06h16
| atualizado às 08h00
ver comentários
Publicidade

O técnico Cuca chegou ao Santos para a sua terceira passagem no clube com preocupação muito além da rotina de treinamentos e jogos. Cuca sabe da necessidade de melhorar o desempenho técnico e tático do elenco, mas acredita numa "engrenagem melhor" se problemas extracampo foram resolvidos.

Cuca observa o relógio durante partida do Santos na Vila Belmiro
Cuca observa o relógio durante partida do Santos na Vila Belmiro
Foto: Pedro H. tesch/Agif-Agência de Fotografia / Estadão Conteúdo

A prioridade é ajudar o Peixe a pagar os salários atrasados. Há direitos de imagem em aberto, além do corte de 70% nos salários de abril a julho.

"Maior reforço é o jogador estar feliz da vida, representando o clube e recebendo em dia. Isso é a coisa mais importante. Pessoal está correndo atrás", disse Cuca, em entrevista coletiva.

O treinador foi fundamental no acordo com Eduardo Sasha após processo na Justiça do Trabalho. A negociação com o Atlético-MG rendeu cerca de R$ 9 milhões ao Alvinegro.

Com Everson, Cuca agiu diferente e, diante da falta de propostas, aceitou reintegrar o goleiro. A permanência no grupo principal evita a desvalorização no mercado e aumenta a chance de uma venda.

Cuca se preocupa até com o salário e carga horária de funcionários. Como mora no CT Rei Pelé, o técnico ouve colaboradores e tenta ajudá-los.

O comandante santista está alinhado com a diretoria: os gerentes Jorge Andrade e Renato e Matheus Rodrigues e Pedro Doria, do Comitê de Gestão. O presidente José Carlos Peres está menos atuante no dia a dia e cuida de questões administrativas.

"Eu vi muita melhora aqui dentro. Tem um cara que trabalha todo dia e aparece pouco, o Jorge Andrade. Fuça, vai atrás. O Matheus, o Doria… Dão a cara à tapa, procuram soluções. O presidente sempre junto. Coisas evoluíram bem. Coisas estão caminhando para o Santos dar apaziguada geral em problemas. Tenho muita esperança em umas duas semanas colocarmos casa toda em ordem, todo mundo ficar feliz da vida e explorar todo o potencial de cada um. Estão sendo competentes, mas podemos melhorar", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade