0

Apagado, Neymar se "despede" da Vila com maior jejum na temporada

23 mai 2013
00h13
atualizado às 02h20
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Neymar conversa com o árbitro paraense Dewson da Silva; atacante pode ter feito seu último jogo na Vila Belmiro
Neymar conversa com o árbitro paraense Dewson da Silva; atacante pode ter feito seu último jogo na Vila Belmiro
Foto: Ivan Storti / Agência Lance

Neymar faz questão de exaltar Robinho como ídolo de infância. O jogo que pode ter sido a provável despedida da Vila Belmiro, entretanto, nem de longe relembrou a atuação de gala do ex-camisa 7 no estádio, em 21 de agosto de 2005, com dois gols diante do Figueirense. Apagado, o novo craque santista sucumbiu, mais uma vez, à apatia do time e de quebra chegou a 662 minutos sem marcar gols. O possível adeus de Neymar terminou de forma indesejada: com "apagão" e o maior jejum pessoal da temporada.

Apesar da nova marca negativa, que supera o jejum anterior de seis partidas em 2013, o camisa 11 viu o Santos se classificar diante do modesto Joinville. O empate por 0 a 0, após vencer por 1 a 0 no jogo de ida, serviu.

A atuação passou longe do esperado. Diferente do clássico contra o Corinthians, Neymar ganhou nova companhia: o recém-contratado centroavante Henrique. Nervoso, o estreante pouco ajudou.

Isolado pela ponta esquerda, Neymar tinha dificuldades diante da forte marcação rival. Tentou a primeira finalização somente aos 26min, em furada atípica. Sete minutos depois, a tabela com Henrique sucumbiu a marcação dupla dos catarinenses. O primeiro tempo improdutivo do Santos engessava qualquer indício de boa jogada individual.

Neymar reiniciou o segundo tempo em busca de jogo, mas longe de justificar a condição de melhor jogador do País. Cruzou, logo no primeiro minuto, de forma grosseira para a área. O desespero foi evidenciado com a insistência em tentativas individuais e dois chutes precipitados de fora da área: aos 6 e aos 20min.

Muricy substituiu Henrique para voltar a escalar Miralles na função. O técnico, no entanto, insistia na manutenção de um esquema improdutivo com três jogadores no meio - Cícero, Arouca e Renê Júnior -, mas sem um armador, já que Felipe Anderson jogou toda a partida deslocado pela ponta direita.

A última tentativa foi aos 33min. Neymar ainda gesticulou e reclamou, o Santos, já sem grandes forças, priorizava mais a manutenção de um resultado que classificava a equipe do que uma vitória que parecia certa.

O atacante ainda deve jogar diante do Flamengo, no domingo, mas longe do estádio, em duelo que o Santos atuará como mandante na reabertura do Mané Garricha. Depois, no dia 27, se apresenta à Seleção para a preparação para a Copa das Confederações. Assediado pelo Barcelona, a volta, prevista para o fim da competição, em 30 de junho, é um mistério. A despedida iniciada com a última final pelo clube, no domingo, perdida para o Corinthians, certamente não foi a que planejou.

Veja o recente jejum de gols de Neymar pelo Santos:
22/5 - Santos 0 x 0 Joinville-SC - Vila Belmiro - Copa do Brasil - 94 minutos
19/5 - Santos 1 x 1 Corinthians - Vila Belmiro - Paulista - 96 minutos
12/5 - Corinthians 2 x 1 Santos - Pacaembu - Paulista - 95 minutos
8/5 - Joinville-SC 0 x 1 Santos - Arena Joinville - Copa do Brasil - 94 minutos
4/5 - Mogi Mirim 1 x 1 Santos - Romildão - Paulista - 94 minutos
27/4 - Santos 1 x 1 Palmeiras - Vila Belmiro - Paulista - 95 minutos
21/4 - Santos 2 x 1 Penapolense - Vila Belmiro - Paulista - 94 minutos

Fonte: K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade