PUBLICIDADE

Rio deve receber 350 mil estrangeiros nos Jogos Olímpicos

3 fev 2015 15h14
| atualizado às 16h57
ver comentários
Publicidade
<p>Mulher na praia de Copacabana</p>
Mulher na praia de Copacabana
Foto: Ricardo Moraes / Reuters

O Rio de Janeiro deve receber até 350 mil turistas estrangeiros nos Jogos Olímpicos de 2016. O governo estuda facilitar a entrada no Brasil com a criação do chamado "passaporte olímpico" para incentivar a vinda de torcedores de outras nações, disse o ministro do Turismo, Vinicius Lages, nesta terça-feira.

Inicialmente, a ideia do governo é aumentar a exposição do País no cenário mundial com a realização da Olimpíada e elevar o ingresso de turistas estrangeiros em meio milhão em 2016, passando dos atuais 6 milhões para 6,5 milhões de visitantes de fora por ano.

"O Brasil já recebe cerca de 6 milhões de turistas estrangeiros por ano. Acreditamos que com o esforço dos Jogos Olímpicos e o esforço promocional antecipando o ano olímpico do turismo, esperamos trazer muito mais", disse Lages a jornalistas, ao frisar que a promoção do turismo brasileiro mundial vai incluir também um propaganda maior da gastronomia nacional.

No ano passado, o Brasil recebeu mais de 1 milhão de turistas estrangeiros para a Copa do Mundo, realizada em 12 cidades, enquanto a Olimpíada será concentrada apenas no Rio. O ministro revelou que já iniciou conversas e negociações com o Ministério das Relações Exteriores para facilitar a entrada dos estrangeiros no país no período olímpico.

As medidas práticas e operacionais para facilitar esse ingresso ainda não foram definidas, mas Lages se mostrou otimista com o chamado "passaporte olímpico".

<p>Turistas devem lotar o Maracanã e outras praças olímpicas em 2016</p>
Turistas devem lotar o Maracanã e outras praças olímpicas em 2016
Foto: Buda Mendes / Getty Images

"Tratamos do evento como grande oportunidade para o país e para mostrar como o Brasil é fácil de se viajar. Precisamos nos posicionar nesse sentido de facilidade, e isso faz parte da competitividade internacional no setor", afirmou.

Lajes aproveitou para minimizar um eventual impacto negativo sobre o turismo devido aos recentes casos de violência no Rio de Janeiro, que teve mais de 30 casos de balas perdidas em janeiro. "Temos violência no mundo todo, isso não afasta o turista. A França é um dos países que mais recebe no mundo e teve seus casos de violência, e nem por isso o turismo diminuiu", disse.

"Segurança nunca aparece nas nossas pesquisas como problema, e o Rio de Janeiro e o Estado estão preparados e haverá, assim como para Copa, uma preparação especial".

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade