PUBLICIDADE
Logo do

Ponte Preta

Meu time

Lanús x Ponte Preta: Terra acompanha ao vivo final da Sul-Americana

11 dez 2013 07h37
| atualizado às 07h40
ver comentários
Publicidade

Na sua primeira participação oficial em competições internacionais, a Ponte Preta driblou o favoritismo dos adversários e chegou à final da Copa Sul-americana, após triunfos expressivos sobre Vélez Sarsfield-ARG e São Paulo. Agora, nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), a Macaca busca, na Argentina, o título mais importante de sua história centenária. No estádio La Fortaleza, a equipe campineira mede forças com o Lanús, na segunda partida da decisão. No jogo de ida, disputado no estádio do Pacaembu, na capital paulista, houve empate por 1 a 1. Como no estágio derradeiro a regra do gol fora não possui validade, qualquer empate leva o duelo para a disputa de pênaltis, e uma vitória simples sobre os grenás consolida o sonho dos comandados de Jorginho. O Terra acompanha tudo, minuto a minuto, a partir das 21h30.

Na viagem para solo argentino, quatro atletas desfalcaram o elenco ponte-pretano: o zagueiro Betão, que teve seu contrato encerrado na terça-feira, o lateral-esquerdo Uendel, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o meia Adrianinho, punido por cinco partidas após a vitória sobre o Vélez Sarsfield-ARG, no estádio José Amalfitani, e o jovem atacante Rafael Ratão, lesionado. Assim, as novidades na delegação campineira foram o zagueiro Raphael Silva, titular no último compromisso da equipe, diante do Internacional, no Campeonato Brasileiro, e o volante Ferrugem, que também atuou frente ao Colorado gaúcho.

A grande dúvida do técnico Jorginho está no substituto de Uendel. Como não possui um lateral-esquerdo de ofício no elenco, após a negociação de Rodrigo Biro com o Atlético-PR, o comandante terá de recorrer ao improviso. A primeira opção é promover a inversão de Régis, que atua na direita. A outra é implementar a entrada de Diego Sacoman, zagueiro, no setor esquerdo. Neste contexto, o Ferron formaria a dupla defensiva, ao lado de César. Por fim, o “coringa” Chiquinho aparece como alternativa. O jogador, que já atuou como ala, meia e atacante, poderia começar a partida mais recuado, dando suporte ao setor de marcação ponte-pretano.

Com a missão de marcar os gols da Ponte Preta, o centroavante Leonardo fez questão de expor o sentimento de disputar esta final inédita: “É bom saber que o grupo está confiante. A adrenalina já está lá em cima. Estou ansioso para chegar logo quarta-feira, para ver se conseguimos fechar o ano com chave de ouro, conseguindo esse título para a Macaca”, ressaltou.

Assim como Jorginho, o comandante do Lanús, Guillermo Barros Schelotto, também fez mistério e fechou grande parte das atividades para os jornalistas. A maior dúvida do comandante grená é encontrar o substituto do meia Pereyra Díaz, que levou o terceiro cartão amarelo, no Pacaembu, e está suspenso. O favorito para assumir tal posto é o paraguaio Victor Ayala.

O lateral-esquerdo Maximiliano Velázquez, que conquistou o Torneio Apertura, em 2007, com o manto do Lanús, projetou o embate final em La Fortaleza: “Sabemos que vai ser uma partida tão dura quanto a ida. Creio que a ansiedade vai pesar, mas conseguimos um bom resultado em São Paulo. Claro que o gol de falta nos doeu, mas antes do jogo, dissemos que um empate, não seria ruim”, sintetizou.

Caso conquiste a Copa Sul-americana, a Ponte Preta se classificará para quatro competições internacionais no próximo ano: além deste próprio torneio, onde defenderá o título, a Macaca marcará presença na Taça Libertadores, na Copa Suruga e também na Recopa Sul-americana, que já tem um representante confirmado: o Atlético-MG.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade