2 eventos ao vivo

Palmeiras joga mal e perde liderança do grupo na Libertadores

Gol de Herrera garante o resultado positivo para o San Lorenzo, que assume a primeira colocação do Grupo F

2 abr 2019
21h22
atualizado às 21h26
  • separator
  • comentários

Uma atuação sem criatividade e uma grande falha na defesa causaram ao Palmeiras a primeira derrota na Copa Libertadores na noite desta terça-feira. Em Buenos Aires, o time foi mal e perdeu por 1 a 0 para o San Lorenzo, pela fase de grupos. A equipe argentina assumiu a liderança da chave com o resultado, com sete pontos, ante seis do time alviverde.

Depois de vencer nas duas primeiras rodadas da Libertadores, o Palmeiras exibiu um futebol ruim e de pouco poderio ofensivo. O time do técnico Luiz Felipe Scolari sofreu a segunda derrota no ano (a outra foi para o Corinthians) e reabilitou os argentinos. O San Lorenzo só tinha vencido duas vezes em 2019 e amarga a 21ª posição entre os 26 participantes do campeonato local.

Felipe Pires em ação contra o San Lorenzo
Felipe Pires em ação contra o San Lorenzo
Foto: Agustin Marcarian / Reuters

A derrota deixa o Palmeiras com duas grandes responsabilidades pela frente. No domingo, o time recebe o São Paulo para ir à final do Campeonato Paulista e na quarta seguinte, enfrenta o Junior Barranquilla no Allianz Parque com a missão de se recuperar na Copa Libertadores.

O Palmeiras começou o jogo com a postura de controlar o San Lorenzo. Com marcação adiantada, troca de passes e paciência, a equipe conseguiu diminuir o ímpeto adversário. As ausências de Ricardo Goulart e Scarpa prejudicaram, mas o time ganhou mais capacidade de segurar o jogo com a presença de Moisés.

O San Lorenzo incomodou no primeiro tempo apenas pela direita. O colombiano Juan Salazar era rápido, enfrentava sozinho a marcação e gerou o principal lance de perigo. O jogador deixou dois palmeirenses no chão e tocou para Castellani acertar a trave, aos 18 minutos de partida.

O susto não fez o Palmeiras se encolher. Moisés matou no peito, deu uma bicicleta e acertou o travessão logo depois. Os contra-ataques se apresentavam como boa arma, porém faltou capricho na hora de armar as jogadas.

Bruno Henrique no jogo contra o San Lorenzo
Bruno Henrique no jogo contra o San Lorenzo
Foto: Agustin Marcarian / Reuters

O time teve duas mudanças no intervalo para conseguir chegar mais ao ataque. Felipe Melo e Lucas Lima entraram no time. As alterações avançaram o time e deram mais espaço ao San Lorenzo. Os argentinos tiveram uma liberdade enorme para chegar ao gol, aos seis minutos do segundo tempo.

O lateral Herrera saiu da direita e conduziu a bola sem ser acompanhado. O jogador chegou na entrada da área, ajeitou com calma e chutou no canto de Weverton.

A vantagem fez o San Lorenzo recuar. Foi a vez do Palmeiras ter mais a posse de bola. O problema era não conseguir aproveitar as oportunidades, pois Deyverson não conseguia fazer o trabalho de centroavante, Felipe Pires foi mal pela lado direito e Dudu encontrava muita marcação pela esquerda.

Após se destacar no primeiro tempo como armador, Moisés deixou de aparecer em campo. Lucas Lima não conseguiu criar jogadas e o ataque foi inerte no segundo tempo. As grandes armas utilizadas para buscar o empate foram com bolas paradas na área em busca dos zagueiros.

Embora em termos de classificação o tropeço não represente ameaça, a atuação apagada na Argentina mostrou debilidades e o quanto o elenco é dependente de alguns jogadores. Sem Goulart e Scarpa, o Palmeiras perdeu muito em qualidade.

FICHA TÉCNICA

SAN LORENZO 1x0 PALMEIRAS

SAN LORENZO: Monetti; Herrera, Coloccini, Senesi e Víctor Salazar (Pérez); Castellani, Loaiza e Martínez; Reniero, Blandi (Poblete) e Juan Salazar (Barrios). Técnico: Jorge Almirón.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Gómez e Diogo Barbosa; Thiago Santos (Felipe Melo), Bruno Henrique (Lucas Lima) e Moisés; Felipe Pires (Raphael Veiga), Dudu e Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gol: Herrera, aos 6 minutos do segundo tempo

Árbitro: Julio Bascuñán (Chile)

Cartões Amarelos: Thiago Santos, Bruno Henrique, Castellani, Marcos Rocha, Herrera, Deyverson

Renda e público: Não divulgados

Local: Nuevo Gasómetro (Buenos Aires)

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade