PUBLICIDADE
Logo do

Palmeiras

Meu time

Abel cita Zagallo e critica imprensa: "Jornalismo do ódio"

Treinador lembrou do Velho Lobo ao clamar por mais dias de descanso

26 out 2021 00h47
| atualizado às 08h24
ver comentários
Publicidade

Nesta segunda-feira, o Palmeiras derrotou o Sport por 2 a 1, de virada, no Allianz Parque, em partida válida pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Abel Ferreira aprovou o espírito de luta da equipe após sofrer o gol com apenas três minutos de jogo, destacando o psicológico dos atletas.

Abel Ferreira gostou da atuação do Palmeiras contra o Sport
Abel Ferreira gostou da atuação do Palmeiras contra o Sport
Foto: Marcello Zambrana/Agif / Estadão

"É a cara do Palmeiras, a cara do torcedor. O que busco é que cada palmeirense se veja nesta equipe. O que nós vimos foi um time com uma força mental muito forte. É um aspecto muito importante na vida e na organização em campo, porque isso não é um jogo de solteiros contra casados. É um jogo que define muita coisa", disse o treinador.

Na sequência, Abel aproveitou o ritmo intenso apresentado pelo Palmeiras na partida desta segunda para defender a necessidade de um maior período de descanso entre os compromissos. O português até citou uma icônica frase de Zagallo, um dos grandes nomes do futebol brasileiro, ao reclamar dos organizadores do calendário no país.

"Para mim, futebol moderno é intensidade, ser vertical, jogar para frente, de chutar 37 vezes ao gol. Agora, para que isso aconteça, é preciso que se dê tempo para a equipe descansar, que foi o que aconteceu. Enfrentamos o Bahia e tivemos dois dias de descanso. Enfrentamos o Bragantino e tivemos dois dias de descanso para ir a Fortaleza. Ainda houve um inteligente, e esses vão me ouvir até o final. Como dizia o Zagallo, vão ter que me engolir. Hoje, a equipe só jogou com esse ritmo e intensidade porque tivemos uma luta muito para conseguirmos adiar o jogo por dois dias. Iríamos jogar contra o Ceará, vir de avião e, dois dias depois, jogar no Allianz Parque contra o Sport. Isso é de quem não pensa", afirmou Abel.

"Temos que sentar treinadores, jogadores, televisão e organizadores, porque têm que dar descanso se quiserem jogos com intensidade e ritmo. A Fifa é muito clara: temos que ter, no mínimo, 72 horas de descanso de um jogo para o outro", completou.

Na sequência, Abel ressaltou a importância do comportamento da torcida no Allianz nesta segunda, visto que o time teve que superar uma desvantagem precoce na partida.

"Agradeço de coração pelo apoio, mesmo após a jogada em que sofremos o gol. A torcida foi determinante para que nós ganhássemos este jogo. Disse semanas atrás que a torcida nos ajudaria a ganhar jogos, e a prova disso foi hoje", pontuou.

Próximo de completar um ano a frente do clube, o técnico negou que tivesse perdido a confiança do elenco nas últimas semanas.

"Alguns dizem que "o professor perdeu o vestiário, perdeu não sei o que…". Não grito com os meus jogadores. Gosto de falar com homens. Antes de atletas, são homens. Quando sentir que perdi o grupo, sou o primeiro a ir. Se fiquei, há trabalho a fazer", afirmou o comandante.

Desde a classificação para a final da Libertadores sobre o Atlético-MG, quando o treinador português mencionou "um vizinho" como enunciador de fortes críticas sobre o futebol apresentado pelo Alviverde, Abel tem feito diversos comentários sobre a imprensa brasileira em suas últimas coletivas. Após o apito final no Allianz Parque, o técnico voltou a fazer comentários sobre o jornalismo esportivo praticado em território nacional.

"Os mais jovens e mais velhos têm sido perfeitos. E quando critico publicamente, é de pai pra filho. Minhas filhas têm que levar nas orelhas. A intenção é no sentido construtivo e não quer dizer que perdi o vestiário. Há o jornalismo feito do ódio, da inveja. Há o jornalismo feito de forma honesta, sem que tenha ódio e críticas baratas. As pessoas não me conhecem como homem, pai. Podem me criticar como treinador, mas quando para ofensa, mostra o caráter de quem está do outro lado", comentou.

Com a vitória, o Palmeiras chegou aos 49 pontos, na segunda colocação. Na próxima rodada, o time terá pela frente o Grêmio, na Arena dos gaúchos, às 16h do domingo. Vale lembrar que o Flamengo, em quarto no momento, tem três jogos a menos.

*Com informações da Equipe Portal

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade