PUBLICIDADE

Motociclismo

Usar ou não usar: a maldição do número 1 na MotoGP!

Francesco Bagnaia ainda não decidiu se vai ou não usar o #1, mas o fato é o número do campeão virou uma espécie de mau agouro na MotoGP, já que os últimos que optaram por fazer a troca, não tiveram sucesso na defesa do título na classe rainha do Mundial de Motovelocidade

20 dez 2022 - 11h01
Compartilhar
Exibir comentários
(Fotos: Ducati |
(Fotos: Ducati |
Foto: Thiago Rocha / Grande Prêmio

Francesco Bagnaia ainda não sabe se vai trocar o #63 pelo #1 na temporada 2023 da MotoGP, mas a história recente mostra que o número do campeão virou um tremendo de um mau agouro na classe rainha do Mundial de Motovelocidade!

A última vez que alguém teve sucesso na defesa de um título usando o #1 foi em 1998, quando o australiano Mick Doohan conquistou o último dos cinco títulos nas 500cc. Depois disso, todos os que vestiram o numeral falharam ao defender a coroa.

Álex Crivillé fez questão de usar #1 em 2000, Kenny Roberts Jr. em 2001, Casey Stoner em 2008 e 2012, e Jorge Lorenzo em 2011. E nenhum deles renovou as taças. Valentino Rossi jamais usou, assim como Marc Márquez, Joan Mir e Fabio Quartararo. Lorenzo, depois de ter feito a troca na primeira conquista, manteve o #99 nos outros dois títulos.

Se optar por vestir o #1 em 2023, Bagnaia fará a terceira troca de número da carreira no Mundial de Motovelocidade e, mais do que isso, terá de combater uma maldição para defender a coroa. Será que dá?

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Compartilhar
Publicidade
Publicidade