PUBLICIDADE

Motociclismo

Álex Márquez mostra metas altas para ano com Gresini: "Temos ferramentas e vontade"

Álex Márquez se mostrou empolgado com o novo desafio na Gresini e almeja mais um ano surpreendente para a equipe na temporada de 2023

21 jan 2023 - 10h04
Compartilhar
Exibir comentários
Álex Márquez defenderá a Gresini em 2023
Álex Márquez defenderá a Gresini em 2023
Foto: Gresini / Grande Prêmio

Depois da Yamaha, foi a vez da Gresini mostrar suas motos para a temporada 2023 da MotoGP. E, além de uma mudança no layout das cores vermelha e lilás, o line-up também foi 50% repaginado para este ano. Isso porque Álex Márquez é quem tomou a vaga deixada por Enea Bastianini, que migrou para a equipe de fábrica da Ducati.

O irmão mais novo de Marc Márquez se mostrou empolgado com o desafio, já que a mudança será brusca após passar alguns anos no 'guarda-chuva' da Honda.

Relacionadas

Alonso destaca energia e motivação da Aston Martin: "Atmosfera muito especial"
As corridas do fim de semana na TV e no streaming: 13 a 15 de janeiro
Carne nova! 'Será corre-corre de fábricas para entrar na Fórmula 1'

"Hoje é um dia muito especial: ver esse time tão unido e pronto é algo que me traz grandes emoções. Ver tanta garra e empolgação dentro da equipe e das pessoas que vieram nos ver é algo que eu gosto muito", disse ele.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Álex Márquez defenderá a Gresini em 2023
Álex Márquez defenderá a Gresini em 2023
Foto: Gresini / Grande Prêmio

"Agora começa o trabalho para uma pré-temporada que esperamos que nos permita estar 100% prontos para a primeira corrida em Portimão. O objetivo é ter um ótimo início de temporada porque vai definir o ritmo para o resto de 2023. Temos as ferramentas e a vontade de fazer. Não vai ser fácil, obviamente, mas a abordagem certa ajuda muito nesses cenários", acrescentou.

Álex tem diante de si a oportunidade da carreira: é a chance de assumir uma moto altamente competitiva, descolar do caminho feito pelo irmão e mostrar a que veio na MotoGP, ainda que não seja uma tarefa fácil substituir Bastianini.

No ano passado, o #23 teve o melhor ano de sua carreira e fez o time comandado por Nadia Padovani sorrir: foi até a reta final do campeonato com chances de título e conquistou quatro vitórias, seis pódios e uma pole-position.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Compartilhar
Publicidade
Publicidade