5 eventos ao vivo

Weverton pega pênalti, mas Palmeiras leva virada do Guarani

Com o time titular, Palmeiras venceu por 1 a 0, graças à defesa do goleiro em cobrança de pênalti, mas sofreu dois gols em Campinas

3 jul 2019
21h12
atualizado às 21h38
  • separator
  • 5
  • comentários

Não era jogo oficial, mas o Palmeiras perdeu nesta quarta-feira. O líder do Campeonato Brasileiro, com cinco pontos de vantagem e sem ser derrotado no torneio nacional há 32 rodadas, interrompeu uma sequência de dez vitórias ao perder, de virada, por 2 a 1 para o Guarani, penúltimo colocado da Série B, em amistoso disputado no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. E o goleiro Weverton ainda defendeu um pênalti.

O técnico Luiz Felipe Scolari usou a base titular no primeiro tempo e foi para o intervalo vencendo por 1 a 0, com Edu Dracena abrindo o placar aos nove minutos e Weverton defendendo pênalti cobrado por Vitor Feijão, aos 15 minutos. No segundo tempo, o time foi sendo desconfigurado e o Guarani virou: Diego Cardoso converteu pênalti, aos 15, e Bady virou, aos 39.

Guarani derrotou Palmeiras por 2 a 1 em amistoso nesta quarta-feira, em Campinas (Reprodução/Esporte Interativo)
Guarani derrotou Palmeiras por 2 a 1 em amistoso nesta quarta-feira, em Campinas (Reprodução/Esporte Interativo)
Foto: LANCE!

O Palmeiras começou o jogo com a base que deve ser titular na próxima quarta-feira, contra o Inter, pela Copa do Brasil: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Dudu, Zé Rafael e Deyverson. A única mudança deve ser a saída de Dracena para a entrada de Gustavo Gómez, que se reapresentou nesta quarta-feira após jogar a Copa América pelo Paraguai e ter cinco dias de folga.

O Palmeiras fará um jogo-treino diante do Oeste, nesta quinta-feira, na Academia de Futebol, sem a presença da imprensa, para quem pouco atuou ou sequer foi a Campinas, como o goleiro Fernando Prass, o lateral-direito Mayke, o zagueiro Antônio Carlos, o meia Gustavo Scarpa, o atacante Willian e o centroavante Borja.

A primeira partida oficial no segundo semestre será na próxima quarta-feira, no Allianz Parque, abrindo os confrontos pelas quartas de final da Copa do Brasil, diante do Internacional. A partir daí, inicia uma maratona, definindo a vaga na Copa do Brasil, os dois duelos contra o argentino Godoy Cruz, pelas oitavas de final da Libertadores, e quatro rodadas do Campeonato Brasileiro até 4 de agosto, incluindo clássicos fora de casa ante São Paulo e Corinthians.Início animador
Os primeiros minutos do amistoso indicavam que o líder do Campeonato Brasileiro dominaria facilmente o penúltimo colocado da Série B. O Palmeiras jogava no campo adversário, pressionava a saída de bola e tinha os jogadores em constante movimento para enganar a marcação, com toques rápidos e objetividade. O gol parecia questão de tempo, o que se confirmou.

Antes dos dois minutos, Weverton quase fez um gol inusitado, lançando da área e dando trabalho ao goleiro do Guarani para defender. Depois, ainda teve um rebote aproveitado por Edu Dracena parado em bela defesa e um corte preciso em cruzamento de Dudu. Aos nove minutos, porém, o camisa 7 cruzou na cabeça de Dracena, que abriu o placar.

Desanimou, mas Weverton pegou pênalti

Por falta de ritmo ou um desânimo natural, o Palmeiras foi diminuindo o pé e deu passos para trás para ficar no seu campo, adotando o estilo de controle de jogo sem a bola que o marca. O problema é que o time perdeu a proximidade, errou passes e permitiu ao Guarani começar a criar oportunidades.

Aos 15 minutos, Dudu acabou cometendo pênalti. Vitor Feijão, que sofreu a falta na área, foi para a cobrança e bateu no meio do gol. Parou nas pernas de Weverton. Mas a defesa do pênalti foi só parte do melhor momento bugrino no primeiro tempo, explorando, principalmente, o lado esquerdo de Diogo Barbosa, pouco ajudado por Zé Rafael, que também não era útil na frente.

Na reta final antes do intervalo, o equilíbrio foi restabelecido quado Dudu ganhou mais liberdade ao atuar centralizado, deixando Lucas Lima pela direita. O Palmeiras voltou a levar perigo, em vez de apenas sofrer finalizações perigosas, e garantir a vitória antes de ir para os vestiários.

Guarani se aproveitou de um time desconfigurado

Dentro das mudanças que programou, Felipão foi mexendo totalmente no time. No intervalo, trocou Marcos Rocha, Diogo Barbosa, Lucas Lima e Zé Rafael por Jean, Victor Luis, Raphael Veiga e Carlos Eduardo. Aos 17 minutos, Thiago Santos, Moisés e Arthur Cabral nas vagas de Felipe Melo, Bruno Henrique e Deyverson. Aos 23, Dudu e Luan saíram, e entraram Hyoran e Fabiano, lateral-direito que ainda não tinha jogado no ano e atuou como zagueiro.

Diante de tantas mudanças, o Guarani foi avançando e dominando a partida. Primeiro, em um pênalti desnecessário feito por Victor Luis, agarrando Diego Cardoso. O atacante bateu e converteu, aos 15 minutos do segundo tempo, empatando o amistoso. Depois, aos 28, Victor Luis ainda evitou gol praticamente em cima da linha.

Depois, quando o Palmeiras ganhava campo com a disposição de Hyoran e Arthur Cabral, a defesa deu bobeira e deu ao Guarani duas oportunidades da virada no mesmo lance, Davó deu lindo drible em Dracena e cruzou para Deivid Souza cabecear na trave. No rebote, Bady fez 2 a 1, aos 39 minutos.

Veja também:

O projeto brasileiro no top 10 do "Nobel de Educação"
Lance!
  • separator
  • 5
  • comentários
publicidade