0

Palmeiras quase triplica média após parada, mas faltam gols de atacantes

Meias foram os artilheiros nas três partidas do Verdão depois de 15 dias sem a equipe entrar em campo, mas nenhum atacante conseguiu balançar as redes ou dar assistência

2 mai 2019
08h23
atualizado às 11h50
  • separator
  • 0
  • comentários

O Palmeiras encontrou força ofensiva depois de ficar 15 dias sem entrar em campo. Antes da parada, a equipe tinha média de 1,35 gols por jogo, um número que quase triplicou depois dos três últimos compromissos: média de três por partida. Mas, curiosamente, os atacantes não tiveram nenhuma participação direta, com gol ou assistência, nessa melhora.

Deyverson celebra com Veiga: nenhum atacante faz gol ou dá assistência há três jogos (Cesar Greco/Ag. Palmeiras)
Deyverson celebra com Veiga: nenhum atacante faz gol ou dá assistência há três jogos (Cesar Greco/Ag. Palmeiras)
Foto: Lance!

Antes de ficar sem atuar por duas semanas, em decorrência da eliminação nas semifinais do Campeonato Paulista, o Verdão acumulava 27 gols em 20 jogos na temporada. Nas três últimas vezes que entrou em campo, porém, balançou as redes em nove oportunidades: 4 a 0 sobre o Melgar, no Peru, pela Libertadores, e, pelo Campeonato Brasileiro, 4 a 0 contra o Fortaleza, no Allianz Parque, e empate por 1 a 1 diante do CSA, em Alagoas.
E os artilheiros nesse período pós-parada são os meias: Zé Rafael e Gustavo Scarpa, com dois gols cada. Moisés, Bruno Henrique e Raphael Veiga são outros meio-campistas que balançaram as redes, enquanto dois defensores, o zagueiro Gustavo Gómez e o lateral-direito Marcos Rocha, completam a lista.

Nas assistências, nenhum atacante aparece. Hyoran deu três, enquanto Marcos Rocha foi responsável por dois passes para gol. Gustavo Scarpa, Zé Rafael e o lateral-esquerdo Diogo Barbosa completam a lista no quesito, com uma participação cada. A assistência que falta veio da zaga do Melgar, no primeiro gol de Gustavo Scarpa no Peru.

Na análise específica dos atacantes, Dudu tem se alternado durante os jogos, chegando a atuar como meia em alguns momentos. Além disso, o camisa 7 tem participado indiretamente dos gols. Deu passe em cobrança de escanteio para Gustavo Scarpa cruzar e Gustavo Gómez abrir o placar diante do Melgar e, no domingo, chamou atenção da marcação ao ir em direção à bola, em arremesso lateral de Marcos Rocha, que acabou encontrando Zé Rafael no terceiro gol sobre o Fortaleza. Além disso, foi poupado contra o CSA, nessa quarta-feira.

A busca por participação mais efetiva recai mais sobre Deyverson. O centroavante foi titular e sequer foi substituído nas últimas três partidas. Ainda assim, não balançou as redes nem deu passe para gol nas chances que têm recebido enquanto Arthur Cabral segue no banco e Borja só foi suplente no Peru, ficando fora até da reserva por opção de Felipão, no domingo, e vetado da viagem a Alagoas para o jogo dessa quarta por pancada no joelho esquerdo.

Neste sábado, às 19h, contra o Internacional, no Allianz Parque, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, é bem provável que Arthur Cabral ganhe sua primeira oportunidade como titular, para Deyverson ter descanso. E Dudu, que foi poupado até da viagem para Maceió, tem escalação desde o início dada praticamente como certa.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade