2 eventos ao vivo

Mudanças fazem Fluminense evoluir, mas não garantem Marcão no cargo

Treinador barrou Nenê e conseguiu dar equilíbrio ao Tricolor, que apesar de ter sido superior ao Vasco, ficou apenas com o empate

3 nov 2019
07h04
  • separator
  • 0
  • comentários

Após um início animador, fazendo muitos sonharem até com uma arrancada rumo ao G6, Marcão convive agora com um jejum de cinco jogos sem fazer o Fluminense vencer no Campeonato Brasileiro. No entanto, o empate com o Vasco, injusto pelo que o Tricolor apresentou em campo, pode ter dado ao treinador a convicção do time ideal.

(Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C)
(Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C)
Foto: Lance!

Ao barrar Nenê, Marcão promoveu a entrada de Yuri. Com isso, o Fluminense reforçou a marcação, com dois volante, mas manteve a característica do time, valorizando a posse de bola e a troca de passes. Ganso foi deslocado para o ataque, atuando como uma espécie de "falso 9", tendo mais liberdade e pouca atribuição defensiva.

A mudança tática deu mais velocidade ao ataque, aproveitando a mobilidade de Marcos Paulo e Yony González. Apesar de ter conseguido achar um equilíbrio entre os setores, Marcão pode não ter tempo para amadurecer a equipe desta maneira. Os resultados ruins colocaram o Fluminense na zona de rebaixamento e o treinador deu a entender que pode deixar o cargo.

- Eu estou trabalhando, trabalhando, trabalhando, trabalhando, pensando já no próximo adversário. Fizemos um grande jogo, lógico que queria a vitória, mas não conseguimos. Deixo essa questão para você perguntar aos nossos dirigentes. O Marcão está aqui para ajudar da melhor maneira possível. Dentro, comandando ou como auxiliar. Da maneira que for preciso, o Marcão vai estar à disposição do clube.

Marcão deixou de ser interino após a vitória sobre o Grêmio. Efetivado, conseguiu ter uma boa sequência, vencendo Botafogo e Bahia, e empatando com o Cruzeiro, no Mineirão. Os resultados sumiram desde então, com o Tricolor somando derrotas para Athletico, Flamengo e Ceará, além dos empates com Chapecoense e Vasco.

Apesar do curto tempo no cargo, Marcão mostrou ter pulso firme para barrar Ganso e agora Nenê. O treinador deixou claro que dificilmente os dois vão jogar juntos. Na derrota para o Ceará, Nenê foi substituído no intervalo. Já no clássico, o meia entrou no segundo tempo, na vaga de Ganso.

Mesmo mostrando coragem para realizar mudanças significativas no time, a inexperiência está pesando e uma troca de comando é constantemente avaliada pela diretoria. A princípio, Marcão vai comandar o Fluminense na quinta-feira, contra o São Paulo, no Morumbi. A dúvida é se o treinador vai estar como efetivado ou como interino.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade