2 eventos ao vivo

'Lateral-artilheiro' é o único vindo da base que Luxemburgo ainda não usou

Lucas Esteves renovou contrato e atuou no profissional com Felipão, mas sequer saiu do banco neste ano; na base, fez colega vendido por mais de R$ 43 milhões mudar de posição

29 mar 2020
08h05
atualizado às 08h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O único jogador de linha que não teve chance no Palmeiras ainda em 2020 é, curiosamente, quem estreou primeiro no time principal entre todos os promovidos das categorias de base: Lucas Esteves. O lateral-esquerdo encara a situação de estar no setor mais concorrido do elenco, mas conta com um currículo vitorioso, principalmente no time sub-20, e um perfil diferenciado para a função: é acostumado a balançar as redes.

Esteves estreou como profissional no ano passado, mas ainda não jogou em 2020 (Agência Palmeiras/Divulgação)
Esteves estreou como profissional no ano passado, mas ainda não jogou em 2020 (Agência Palmeiras/Divulgação)
Foto: Lance!

- A minha principal característica é a chegada ao ataque e finalização. Sou um lateral que faz bastante gol - apresentou-se, em vídeo produzido pela TV Palmeiras, o camisa 16, com 19 anos de idade e uma série de gols exibidos ao longo de cinco anos na base do clube. Antes, defendeu um arquirrival.- Fui para uma escolinha do São Paulo, com sete anos de idade, joguei lá oito meses e acabei indo para Cotia. Fiquei lá por sete anos e, com 14 anos de idade, fui dispensado. Alguns meses depois, vim para o Palmeiras. E estou aqui desde os 14 anos - contou o lateral-artilheiro.

Na base do Palmeiras, fez sucesso. Não à toa, se Gabriel Veron estreou no fim de 2019 e Gabriel Menino, Patrick de Paula e Alan só jogaram no profissional em 2020, Lucas Esteves atuou nos últimos quatro minutos da vitória por 1 a 0 sobre a Ponte Preta, em 20 de março de 2019, pelo Paulista, com Luiz Felipe Scolari. Sob o comando de Mano Menezes, foi relacionado diversas vezes, inclusive ficando no banco no 1 a 1 diante do Corinthians, em 9 de novembro.

- No time sub-20 era mais rápido, correria. No profissional, o jogo é mais cadenciado. Mas, desde o ano passado, eles me acolheram bem, procuraram me ajudar sempre que precisei. Se tenho dúvida, pergunto, porque são espelhos e ídolos para quem vem da base. É importante aprender com eles - comentou Esteves.

Na base, mostrou tanto potencial que Luan Cândido, lateral-esquerdo vendido por 10 milhões de euros (R$ 43,1 milhões, na época) ao Red Bull Leipzig, da Alemanha, no ano passado - hoje, está no Bragantino -, virava atacante para que Esteves tivesse espaço. É apontado por João Paulo Sampaio, coordenador da base, como alguém com muita força técnica e velocidade, pronto para jogo decisivo e, pelo perfil ofensivo, também pode ser volante ou atacante.

Seu estilo fazedor de gols, porém, não pôde ser visto nem durante a Florida Cup, competição disputada em meio à pré-temporada, nos Estados Unidos, em janeiro, quando só Diogo Barbosa e Victor Luis foram usados por Vanderlei Luxemburgo. A concorrência ainda aumentou com a contratação do lateral-esquerdo Matías Viña, que chegou com aval do técnico e já tornando-se titular. Mas Esteves, inscrito no Campeonato e na Libertadores, renovou seu contrato e vive a expectativa de ter chance depois da pausa devido ao coronavírus.

- Meu primeiro objetivo é jogar. Depois, procurar ajudar, da melhor forma possível, e, se Deus quiser, ganhar muitos títulos com essa camisa do Palmeiras, que é gigante - declarou.

Confira abaixo o vídeo com Lucas Esteves produzido pela TV Palmeiras:

Veja também:

Pelé é superestimado? Editor do L! avalia polêmica criada por site inglês
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade