PUBLICIDADE

Europeu e 'moldado' para o Timão, gramado da Arena tem até ar gelado

29 out 2015 07h14
ver comentários
Publicidade

Diz o ditado popular que a grama do vizinho é sempre mais verde. A máxima, porém, não vale para o Corinthians. Primeiro porque a cor não é lá muito bem vista no clube, mas principalmente porque o Timão se orgulha de ter em sua arena um dos melhores, se não o melhor, gramados do Brasil.

Enquanto o campo do Palmeiras, maior rival corintiano, é alvo de críticas do próprio clube, o tapete de Itaquera serve como aliado para o líder do Brasileirão e tem se tornado pesadelo dos adversários.

Não são poucos os times que tem escorregado na casa alvinegra. Literalmente. A Arena possui grama europeia, chamada Raygrass, com fibras sintéticas entrelaçadas a ela. Pouco acostumados com tal “tapete”, alguns jogadores não têm parado de pé por lá.

– Veja que na Copa do Mundo ninguém estranhou, afinal 90% dos jogadores jogavam na Europa e estavam acostumados com esse campo. Os daqui preferem chuteira com trava de borracha e aí não se equilibram. Usando cravo de alumínio, não há erro – explicou André Amaral, gerente de operações da World Sports, empresa que cuida do gramado do Timão e, curiosamente, também do Allianz Parque.

Um dos principais motivos para a qualidade do campo de Itaquera é o fato de o Timão não realizar shows e outros eventos no mesmo local onde as partidas são disputadas. Mas há outros segredos. Um deles é a tecnologia exclusiva de refrigeramento do solo. Como a grama é europeia e está acostumada com clima mais frio, o Corinthians gela o solo com ar (que varia de 13C a 16C) e água.

– Em países em que há neve, o gramado é aquecido. Aqui, fazemos o oposto – contou Amaral, que também destacou a tecnologia de drenagem a vácuo utilizada na Arena.

Para fazer essa estrutura funcionar, três funcionários cuidam 365 dias por ano exclusivamente do campo, cujo sistema de irrigação e drenagem pode ser acionado até mesmo por um aplicativo de smartphone.

Com isso, obtém-se um gramado moldado como Tite e a comissão técnica alvinegra pedem: rápido e propício para o estilo de jogo do Timão. O resultado? Quase 80% de aproveitamento do Corinthians na Arena!

Com a palavra: André Amaral, gerente de operações da World Sports, empresa que cuida do gramado da Arena

Dos campos que cuidamos, o da Arena Corinthians é o mais fácil, por não haver shows, pela manutenção que tem... E justamente no estádio que achávamos que poderia ser o mais problemático, já que usa uma grama européia, não muito propícia para o clima tropical.

Praticamente todos os estádios de primeira linha da Europa usam esse gramado. Wembley, Allianz Arena, Emirates Stadium... Só que muitos lá e nos Estados Unidos são aquecidos, para derreter a neve. Na Arena Corinthians, gelamos, já que essa grama não está acostumada com o clima tropical.

Tudo que é feito na Arena é em acordo com a comissão técnica do Corinthians. No passado a gente se reuniu com a diretoria, eles falaram a necessidade que tinham e definimos o que era viável e o que não era possível.

Esse gramado é mais rápido, realmente, mas todos os campos são molhados antes das partidas. 

Outra característica dele é gerar pouca lesão, por conta do reforço sintético. As torções geralmente acontecem quando o atleta vai virar o pé e escorrega no campo. A grama da Arena dá estabilidade para o pé dele, e o jogador tem controle total. É um gramado estável.

Lance!
Publicidade
Publicidade