1 evento ao vivo

Eleição no Corinthians: Augusto Melo fala ao LANCE!: 'Está na hora de darmos início a uma nova fase'

Ex-empresário do ramo têxtil, Melo é sócio do clube há 40 anos e foi conselheiro por dois mandatos. Ocupou o cargo de assessor do departamento de base do Timão até 2016

25 nov 2020
08h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

No próximo sábado (28/11), o Corinthians terá sua eleição para presidente do clube e, para aquecer a disputa, o LANCE! traz uma série de entrevistas com os envolvidos no pleito. Nesta semana, as conversas serão com os três candidatos a presidente. A proposta foi fazer as mesmas seis perguntas para cada um dos concorrentes. Como o critério adotado para a publicação é por ordem alfabética, a primeira entrevista será com Augusto Melo. Confira abaixo:

Augusto Melo quer levar a experiência empresarial ao Corinthians (Foto: Reprodução/Facebook Augusto Melo)
Augusto Melo quer levar a experiência empresarial ao Corinthians (Foto: Reprodução/Facebook Augusto Melo)
Foto: Lance!

TABELA

Augusto Melo, candidato à presidência do Corinthians, 56 anos - Foi conselheiro do clube por dois mandatos e já ocupou o cargo de assessor de departamento de base do Timão, tendo se desligado em agosto de 2016

1) Qual é a sua relação com o Corinthians (sem contar o envolvimento político com o clube, somente a relação passional)?

Eu cresci ali em Arthur Alvim, embora eu tenha nascido no Paraná. Joguei muita bola por aqueles campos de várzea. Andei muito por onde hoje está nossa Arena, acompanhei muito jogo na arquibancada, no alambrado. Como todo jovem fiel corintiano, eu também tinha o sonho de jogar futebol. A paixão pelo futebol sempre esteve no sangue. E essa relação com o Corinthians não tem jeito, corintiano nasce. Ser corintiano não tem explicação. Um dia virei sócio e passei a vivenciar a realidade e os desafios do nosso clube. Depois de ter dedicado a minha vida inteira como empresário, hoje tenho tempo para me dedicar ao clube. E estou aqui por mais de 30 milhões de torcedores, pelo clube que eu amo, pelo sócios e por todos que querem um Corinthians mais forte.

2) O que te leva a querer ser presidente do Corinthians?

Resgatar a alegria e o orgulho do torcedor corintiano que quer ver o clube e o time novamente campeão. Para colocar outras categorias em evidência, o clube não é só o futebol de campo profissional, é preciso entender que temos o futsal, o basquete, a natação que também precisam de atenção e investimento. Além disso, quem tiver que administrar o Corinthians precise olhar para o clube, seus sócios e trazer bem-feitorias também para o clube no geral. É necessário prestigiar os esportes olímpicos e amadores. São tantos elementos que hoje me coloco à disposição para unir todo o clube em um pensamento que possa promover uma nova gestão, focada em resultados para recuperar a credibilidade do Corinthians perante a novos investidores, que tem interesse em se aproximar das nossas modalidades, mas ainda não sabem como.

Também é preciso entender que hoje o Corinthians tem um grande equipamento que é a Arena, é fundamental quitar qualquer dívida que exista e transformar aquele espaço maravilhoso em um local que gere mais recursos, para que o clube possa realizar novos investimentos, inclusive ampliando as condições de trabalho para nosso time de futebol. Da mesma forma, trazer novas possibilidades de recursos para o clube social, dando a possibilidade de ser autossustentável, sem que dependa do futebol para que sejam feitos investimentos no clube. Queremos criar um departamento de marketing e comercial para cada departamento do clube, assim damos a possibilidade de marcas, que não tem como realizar altos investimentos, participarem do Corinthians em outras áreas e categorias.

3) Se assumir a presidência, quais serão as medidas em relação aos problemas financeiros do clube?

Antes de mais nada é preciso entender e fazer um levantamento apurado, uma auditoria, de toda essa conta. Já fechamos para trazer uma das quatro maiores auditorias para realizar essa apuração. O que vou prezar é pela gestão clara de cada gasto que é realizado, o que pode ser renegociado, incluindo impostos. É preciso gerir o clube com o pensamento gerencial, que não pode só acumular dívidas… Essa experiência eu tenho. E conto com a colaboração de todos para a gente trazer de volta a credibilidade ao Corinthians e recuperar os investidores. Não tem como falar de gestão se não olhar para aquilo que é gasto. Se houver necessidade de rever contratos, vamos fazer.

Para mim três pontos são importantes quando se fala em gestão: administração, finanças e jurídico. Esse é o tripé do sucesso empresarial. O Corinthians é uma das marcas mais fortes deste país. É necessário acompanhar resultados e promover uma mudança de postura dentro e fora do clube. É necessário ter transparência na gestão. Para que tudo fique claro para os associados e para o torcedor. Nós temos a torcida mais fiel do Brasil. Temos que respeitar essas pessoas. Por isso vamos trabalhar forte um compliance, que aumente o controle sobre eventuais riscos financeiros, identificação de fraudes, prevenção de assédios, combate a corrupção e aumento da credibilidade. Será criado um código de ética para nortear todos os relacionamentos do Corinthians com funcionários e terceiros.

4) Qual é a sua principal proposta para o próximo triênio?

Queremos, sem dúvida, recuperar as contas do Corinthians e trazer novos investimentos. Valorizar cada dia os compromissos com a torcida, com os patrocinadores e com as relações profissionais estabelecidas numa gestão moderna, transparente e de futuro. É administrar o Corinthians para orgulho de cada corintiano. Vamos trabalhar uma gestão eficaz, fortalecendo quatro pontos principais de atuação: administração, finanças, marketing e jurídico.

Iremos desenvolver um departamento de futebol vencedor, com administração séria, transparente e competente. Uma base efetiva, com formação de atletas, que venham a integrar o time profissional. Queremos uma administração para o clube social independente, com gestão de custos e gastos afim de ser sustentável, além de aumentar o número de associados com atrações que o clube possa dispor, decorrente da excelente localização que se encontra.

No marketing, vamos trabalhar uma plataforma de gestão, dando o devido valor a marca Corinthians, diante da sua grandiosidade de nação e de seus 35 milhões de torcedores. Incentivo à participação democrática dos associados e torcedores no processo de planejamento e na gestão por meio de canais de escuta e debates presenciais e virtuais.

5) Quais são os planos para a Neo Química Arena? É possível torná-la mais rentável ao clube nos próximos anos?

É preciso ter uma administração profissional do estádio. Com objetivos e metas claras que possam gerar mais rendimento ao clube. Nós temos uma arena para múltiplos usos. É preciso tornar o espaço mais atrativo para que outros eventos aconteçam. E o torcedor também precisa se sentir parte daquele lugar. Também iremos mudar o setor sul, aumentando a capacidade do estádio, com a retirada das cadeiras. Além disso, vamos reduzir o valor do ingresso e congelar o preço. Isso vai nos dar a possibilidade de ter uma Arena sempre cheia e trazer o Corinthians novamente para a torcida.

6) Por que o sócio com direito a voto e o torcedor corintiano devem confiar em você para a presidência?

Sou o único candidato que tem compromisso com a lisura na gestão, que vai assegurar que as informações sejam disponibilizadas para as instâncias deliberativas e fiscais do clube, bem como os sócios e torcedores.

Alguns ciclos terminam e outros começam. Está na hora de darmos início a uma nova fase, que preze pelos torcedores, pelo clube, pelo futebol, por todas as modalidades, pelos sócios, pelo títulos, por mais seriedade, alegria e conquistas. Sou o único candidato que tem um plano de gestão sustentável para termos um Corinthians cada vez mais forte.

Veja também:

Veja os clubes tradicionais do Brasil que não estão nas Séries A e B
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade