0

Da Suderj à Odebrecht: o Maracanã e suas administrações

Principal estádio de futebol do mundo, o Maracanã teve idas e vindas sobre a sua administração ao longo dos anos

20 mar 2019
09h50
atualizado às 10h01
  • separator
  • comentários

O Maracanã foi palco de grandes momentos do futebol brasileiro e mundial, como o milésimo gol de Pelé, finais do Campeonato Brasileiro, Copas do Mundo e do primeiro Mundial de Clubes, além de competições internacionais e partidas da Seleção Brasileira. No entanto, já sofreu com idas e vindas dos seus "donos" ao longo da história. O LANCE! mostra quem foram esses órgãos e a história entre eles.

Adem: a administração do projeto de construção

Em 1947, foi criada a ADEM (Administração do Estádio Municipal), para administrar o projeto de construção do estádio do Maracanã, que seria utilizado para a Copa do Mundo de 1950. Na época, o local dividiu a opinião política por dois fatores: o seu contato com as classes mais baixas, sendo erguido em uma área pouco nobre, diferente da preferência da elite na época, e o alto custo, sendo necessário a venda de cadeiras para o seu pagamento. Foi este o órgão que controlou o estádio durante a primeira década de existência.

Adeg: novo nome após mudança da capital

Com a criação do estado da Guanabara, devido à transferência da capital do país para Brasília em 1960, a ADEM passou a se chamar ADEG (Administração dos Estádios do Estado da Guanabara). O órgão ficou marcado por um jogo em especial: Santos e Flamengo, válido pelo Torneio Rio São Paulo de 1961, onde a empresa que administrava o Maracanã imprimiu 90 mil ingressos, mas outras 10 mil pessoas invadiram o estádio para assistir a equipe de Pelé, que marcou três gols na partida.

Suderj no Maracanã
Suderj no Maracanã
Foto: Reprodução / LANCE!

 

SUDERJ

Em 1975, quando ocorre a fusão do estado da Guanabara com o estado do Rio de Janeiro, torna-se finalmente SUDERJ - Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro. Esta foi a empresa que administrou o estádio por mais tempo ao longo da história, tendo as suas ações diretamente ligados ao Estado. O bordão "Suderj informa" virou tradição do futebol carioca.

Complexo Maracanã

Em 2013, foi anunciado o resultado da licitação para realizar as obras no estádio do Maracanã, com vistas à Copa de 2014. O Consórcio, formado pelas empreiteiras Odebrecht, MX Venues, Arena S.A e AEG Administração de Estádios do Brasil LTDA, ganhou o direito de administrar o Complexo Maracanã pelos próximos 35 anos. Flamengo e Fluminense foram os clubes que assinaram contratos com o órgão.

Governo do Rio de Janeiro

O Maracanã estará sob controle do Governo do Rio de Janeiro dentro de 30 dias. O motivo é que o governador Wilson Witzel (PSC-RJ) publicou no Diário Oficial o cancelamento da concessão que dava o estádio ao Complexo Maracanã, empresa ligada a Odebrecht que administra o local. Decisão tem valor dentro de 30 dias à partir deste 18 de março. Ou seja, a empresa tem até o dia 19 de abril para deixar o local e passar o controle para o Governo do Rio de Janeiro.

Veja também

 

Lance!
  • separator
  • comentários
publicidade