0

Conselheiros pedem afastamento de 'braço direito' de Peres do Comitê de Gestão do Santos

Documento vê irregularidade de Matheus Rodrigues ao concorrer como vereador sem pedir afastamento da sua função no Peixe. Gestor questiona 'seletividade do requerimento'

21 set 2020
14h09
atualizado às 14h50
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um dos braços do presidente José Carlos Peres na administração do Santos, Matheus Rodrigues, membro do comitê gestor do clube, teve o pedido de suspensão do cargo, por até um ano, protocolado no Conselho Deliberativo nesta segunda-feira (21).

Matheus Rodrigues representou o Santos FC em encontro com o presidente da República (Foto: Reprodução)
Matheus Rodrigues representou o Santos FC em encontro com o presidente da República (Foto: Reprodução)
Foto: Lance!

O documento foi emitido pelo conselheiro Wilber Gadi e contou com a assinatura de outros 25 membros do Egrégio, questionando o não pedido de afastamento de Matheus da sua função no Peixe, por conta da sua candidatura à reeleição ao cargo de vereador na cidade de Bertioga.

O LANCE! teve acesso ao conteúdo, que se embasa nos artigos 3 e 14 do Estatuto Social do Peixe, além do artigo 5º do Código de Ética e Conduta do clube, apontando a necessidade de saída temporária do CG em, pelo menos, 90 dias de antecedência, o que também é indicado aos membros do Conselho Deliberativo ou Consultivo do Alvinegro. No material, a ausência do cumprimento da medida é considerado um ferimento na norma e padrão de comportamento da instituição, torando-se passivo da citada punição.

Em contato com o L!, Matheus questionou que a medida adotada contra ele não tenha sido a mesma em relação a conselheiros que disputam cargos eletivos e não se afastaram de suas funções no Santos, entre eles o atual prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB).

- Informo que, até o momento, não recebi qualquer comunicação formal sobre o assunto. Quanto ao possível requerimento apresentado pelo Conselho Deliberativo, o que mais preocupa é a sua seletividade. - disse Rodrigues à reportagem.

A determinação de afastamento aplica não somente a membros do comitê de gestão, bem como membros do Conselho Deliberativo e demais órgãos estatutários do Santos FC - concluiu.

Homologado o pedido de suspensão de Matheus, a Mesa Diretora analisará o pedido, podendo o encaminhar para a Comissão de Inquérito e Sindicância (CIS), para que ela escute as partes envolvidas e emitir um parecer. Não existe um prazo mínimo para que o trâmite seja desenrolado.

Trajetória de Matheus

Matheus Rodrigues foi inserido no Comitê Gestor santista em outubro de 2018, 10 meses após o início de mandato de Peres. O vereador não fez parte da "formação original" do grupo, entrando com Anilton Perão, José Bruno Carbone e Paulo Schiff, após as saídas de Andrés Rueda, José Carlos de Oliveira, Hanie Issa e Urubatan Helou.

Ao lado de Pedro Doria, é um dos gestores mais participativos da gestão presidida por José Carlos Peres, sendo, inclusive, cotado internamente para se candidatar à presidência ou vice-presidência, pela chapa de situação, no pleito previsto para dezembro.

Matheus tem ampla participação no cotidiano do CT Rei Pelé e proximidade ao Departamento de Futebol, além de representar o Peixe em reuniões recentes, como o encontro com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, no mês de julho, para debater questões relacionadas a "MP do Mandante" e nas últimas semanas, junto a Peres e o analista de desempenho Bebeto Sauthier, em um encontro com membros da CBF para questionar os critérios de atuação da arbitragem de vídeo contra o Santos.

Veja também:

Veja as principais revelações que saíram do CT do São Paulo
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade