0

Com proposta de time do Oriente Médio, Carlos Amadeu se despede do Bahia

Emocionado, treinador ressaltou seu trabalho na base da equipe: 'Me despeço do clube emocionado e ciente de que estou deixando um projeto muito promissor'

1 ago 2020
13h59
atualizado às 13h59
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Na manhã deste sábado (1º), o Esporte Clube Bahia, através de suas redes sociais, informou a saída de Carlos Amadeu do comando do Sub-20 do clube.

Foto: Divulgação/Bahia
Foto: Divulgação/Bahia
Foto: Lance!

Rumo ao Oriente Médio, o comandante, por sua vez, também manisfestou-se através de sua rede social postando um texto de agradecimento. Nele, Carlos fez questão de expressar seu carinho por todos que estiveram ao seu lado, além de exaltar seu trabalho no período em que treinou o time.

Confira abaixo o comunicado do treinador:

"Ontem comuniquei à diretoria do Bahia que deixarei o clube. Saio pela porta da frente e, principalmente, nutrindo um respeito monstruoso por este clube. Fui formado nas categorias de base do Bahia, vivenciei conquistas maravilhosas.

Deixo o meu adeus e agradecimento especial às pessoas que me trouxeram de volta ao clube, um projeto liderado por jovens com mentes capacitadas, com potencial para revolucionar o clube e o futebol brasileiro.

Agradeço também pela forma leve e competente da gestão da base. Pelos meus colegas, também jovens e muito competentes, com os quais tive sinergia e entendimento de ideias. Deixo meu carinho aos atletas que estavam entendendo a mentalidade vencedora, o DNA do Bahia, mesmo à distância e se dedicando ao máximo.

Me despeço do clube emocionado e ciente de que estou deixando um projeto muito promissor, não só dentro de campo, mas também na responsabilidade social que tem, trazendo à tona discussões que não passavam pelo meio do futebol e que são importantíssimas.

Sempre me orgulhei muito por trabalhar no clube que trouxe isso de forma tão clara e necessária, formando pessoas melhores e atletas de alto nível. Porém, é momento de um novo desafio que sempre sonhei, no exterior.

Sair da zona de conforto sempre me motivou. Comecei a estudar inglês aos 50 anos de idade, pois vislumbrava essa oportunidade.

Entendo que é hora de abraçar mais um grande projeto, conhecer uma cultura totalmente diferente e enfrentar, sim, dificuldades, ao buscar o crescimento pessoal e profissional. Se um dia retornar ao Brasil, espero que encontre novamente o Bahia e que ele esteja ainda melhor, pois o caminho para isso está mais do que pavimentado."

Veja também:

Repórter do L! analisa estreia do Botafogo no Campeonato Brasileiro
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade