0

Com covid, Diego relata dores leves de garganta e corpo

Um dos seis infectados que retorna ao Brasil após testar positivo, meia lamenta sequência de fatos negativos no Rubro-Negro

21 set 2020
14h09
atualizado às 14h13
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um dos seis jogadores do Flamengo diagnosticados com covid-19, o meia Diego relatou que sente apenas um pouco de dores de garganta e no corpo, e lamentou a situação do Rubro-Negro. A declaração foi dada em um vídeo gravado ainda no Equador, antes do retorno dos infectados ao Brasil.

Diego gravou vídeo ainda no Equador após testar positivo para Covid-19 (Foto: Reprodução/Youtube)
Diego gravou vídeo ainda no Equador após testar positivo para Covid-19 (Foto: Reprodução/Youtube)
Foto: LANCE!

"Estou passando aqui para dizer que estou bem, na medida do possível. Um pouco de dor de garganta e dor no corpo, mas nada além disso, graças a Deus. É claro que os últimos dias têm sido muito difíceis, depois daquele jogo horroroso que fizemos em Quito vem essa notícia do teste positivo. Sei que estou sujeito desde que saio de casa para exercer minha profissão. Estamos há quase uma semana no Equador. Mas é uma situação bem desagradável e o mais difícil é ter d ficar nos bastidores em um momento tão importante como esse", afirmou Diego.

O Flamengo corre contra o tempo para entrar em campo em condições nesta terça-feira, contra o Barcelona (EQU) pela Libertadores.

Do grupo de 25 atletas que viajou para o Equador há uma semana, o técnico Domènec Torrent só tinha três goleiros e 13 jogadores de linha à disposição. No Brasil, os inscritos ficaram de sobreaviso e tentam chegar ao palco do jogo a tempo.

São eles o lateral-direito João Lucas, que ficou no Rio de Janeiro em fase final de recuperação de uma lesão muscular, e os jovens zagueiros Natan e Gabriel Noga e os atacantes Rodrigo Muniz, Guilherme Bala e Lázaro, todos da base.

"Temos de encontrar uma solução de seguir em frente. Os momentos difíceis ou nos destroem ou nos fortalecem. Eu acredito muito que esse vai nos unir. Confio nos meus companheiros, comissão técnica, diretoria e torcedores. Seguiremos em frente e encontraremos a solução. Estamos constantemente em busca dela. É um momento de falar pouco e trabalhar muito, e o que incomoda é justamente não poder trabalhar efetivamente, mas o que estiver ao meu alcance, eu farei, para que possamos honrar essa camisa como ela merece", afirmou Diego.

Veja também:

Editor do L! analisa grave crise dentro e fora de campo do Botafogo
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade