PUBLICIDADE

Brasileiros credenciados para as Olimpíadas serão vacinados

Governo se articula para que atletas, comissões e profissionais sejam imunizados e, em troca, SUS receberá doação

27 abr 2021 17h22
| atualizado às 19h21
ver comentários
Publicidade
Brasileiros que irão a Tóquio começarão a ser vacinados em maio (Foto: Rafael Bello/COB)
Brasileiros que irão a Tóquio começarão a ser vacinados em maio (Foto: Rafael Bello/COB)
Foto: Lance!

Os atletas brasileiros, membros de comissões técnicas e demais profissionais do país credenciados para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, como jornalistas, começarão a ser vacinados contra a covid-19 em maio. O grupo foi incluído na lista de prioridades do Plano Nacional de Vacinação e a previsão é que todos estejam imunizados com as duas doses até julho, um mês antes da Olimpíada.

A logística da operação foi discutida nesta terça-feira (27), em reunião entre a Diretoria de Imunização do Ministério da Saúde, representantes do Ministério da Defesa e do COB (Comitê Olímpico do Brasil). O grupo será imunizado com a vacina Coronavac, que foi doada pelo Comitê Olímpico Chinês ao COI (Comitê olímpico internacional). O COI, por sua vez, enviará as doses ao governo federal.

Para cada membro da comitiva verde e amarela, serão disponibilizadas outras duas doses para a população. Ao todo, o SUS receberá cerca de 8 mil doses (suficiente para vacinar 4.000 pessoas), de acordo com o Olhar Olímpico. A ideia do governo é que as doses extras sejam uma espécie de compensação aos brasileiros que aguardam sua vez na fila de espera.

O Comitê Olímpico Chinês se comprometeu a doar todas as doses necessárias para vacinar as delegações que vão a Tóquio e também à Olimpíada de Inverno, pois o país vai receber a próxima edição dos Jogos de Inverno, em 2022. 

A Coronavac tem aval da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), por isso o acordo foi possível, diferentemente do que ocorreu em países com maiores restrições aos imunizante chineses. A explicação para a inclusão de atletas na lista de prioridades para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos é que a missão faz parte de uma política pública do governo federal, que paga as viagens com recursos da Lei Agnelo/Piva e impulsiona a preparação dos atletas com a Bolsa Pódio.

De acordo com um levantamento não oficial, cerca de 80 atletas e membros de comissão técnica já foram vacinados fora do Brasil.

Lance!
Publicidade
Publicidade