0

Assassino de Daniel recebeu "plano de fuga de R$ 70 mil"

Edison Brittes recebia de 35 a 40 bilhetes por dia na cela. Ele confessou a irregularidade e acabou sendo transferido para Curitiba

13 mar 2019
14h31
atualizado às 14h43
  • separator
  • comentários

Edison Brittes, que está preso pelo assassinato do jogador Daniel, em outubro do ano passado, confessou que recebia vários bilhetes destinados a sua cela no presídio de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Em um destes bilhetes, constava uma oferta de R$70 mil para uma fuga da prisão, além de pedidos de ligação telefônica.

Edison Brittes está preso desde novembro do ano passado (Imagem: Reprodução de internet)
Edison Brittes está preso desde novembro do ano passado (Imagem: Reprodução de internet)
Foto: LANCE!

Edison prestou depoimento, depois que policiais encontraram os bilhetes após uma revista em sua cela. Ele afirmou que não pretende fugir, e também alegou que não foi flagrado com celular, nem com respostas para os bilhetes.
Um dos recados, mandado por um preso identificado como Richard, propõe que Edison pague R$ 70 mil reais para um plano de fuga. Além disso, Richard propõe que, logo após a fuga de Edison, vai resgatar Cristiana e Allana Brittes, mulher e filha do empresário, que também estão presas acusadas de envolvimento no crime.

"Edison Brittes, hoje, é dono de uma mística no Departamento Penitenciário. Principalmente, de uma mística, de um mito de que ele tem dinheiro. O próprio apelido que deram a ele de Juninho Riqueza atrai esse tipo de situação. Esses bilhetes não foram lidos por ele, muito menos respondidos - afirmou Claúdio Dalledone, advogado do empresário á RPC Curitiba.

Relembre o caso

O jogador Daniel Correa foi morto depois de participar da festa de 18 anos de Allana Brittes, filha de Edison. A festa, que começou em uma casa noturna em Curitiba, continuou na casa da família Brittes, em São José dos Pinhais (PR). De acordo com o empresário, conhecido como Juninho Riqueza, Daniel teria tentado estuprar a sua mulher, Cristina.

De acordo com a Polícia, não houve tentativa de estupro. O jogador foi espancado na casa da família, e levado até um matagal, onde foi mutilado e morto.

 

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade