0

Aos 46, Scheidt cresce no fim e leva título do Europeu de Star na Itália

Bicampeão olímpico assegura o terceiro triunfo consecutivo do Brasil no evento ao derrotar franceses na última perna da regata decisiva. Arthur Lopes leva o bronze, com Paul Cayard

19 mai 2019
11h34
atualizado às 14h01
  • separator
  • 0
  • comentários

O Brasil cumpriu a promessa de agitar terras italianas e garantiu neste domingo o título do Europeu de vela na classe Star pelo terceiro ano consecutivo. Mas não foi nenhum estranho no ninho quem roubou a cena no local, pelo contrário. No quintal de casa, o bicampeão olímpico Robert Scheidt, de 46 anos, fez a festa ao lado do proeiro Henry Boening, em Riva del Garda.

Aos 46 anos, Robert Scheidt conquistou o Europeu de Star, ao lado de Henry Boening (Foto: Gilles Morelle / SSL)
Aos 46 anos, Robert Scheidt conquistou o Europeu de Star, ao lado de Henry Boening (Foto: Gilles Morelle / SSL)
Foto: Lance!

Diante dos filhos Erik e Lukas e da esposa Gintare, prata em Londres-2012 na Laser Radial, Scheidt assegurou o triunfo somente na reta final da última perna da regata decisiva, que reuniu os quatro melhores times. Os brasileiros passaram a maior parte da disputa em terceiro, mas aproveitaram as situações no Lago di Garda e passaram os franceses Xavier Rohart e Pierre-Alexis Ponsot. A vitória foi selada em 49 minutos, por apenas três segundos de vantagem.

Os europeus estavam imbatíveis nas primeiras regatas do dia. No encerramento da fase classificatória, levaram a melhor, antes de assegurar o triunfo nas quartas de final. Mas deram uma brecha para Scheidt e Maguila.

- Eu estava tão cansado, que eu não tinha acreditado que tínhamos vencido. Só entendi quando o Maguila gritou para mim. Grande regata, com muita técnica e diversas situações interessantes para quem assistiu. Nós tivemos uma oportunidade de assumir a liderança e aproveitamos. Foi incrível e especial, por eu ter as crianças me assistindo aqui - disse Robert, que está em campanha olímpica para Tóquio-2020 na Laser, uma vez que a Star não faz parte do programa do evento desde o fim dos Jogos de Londres-2012.

E a festa verde e amarela não parou por aí. O paulista Arthur Lopes, proeiro do americano Paul Cayard, ficou com a medalha de bronze. O timoneiro, vencedor da Volvo Ocean Race em 1998 e campeão mundial de Star em 1988, completou 60 anos neste domingo. O polonês Mateus Kuznierewicz e o português Frederico Melo ficaram em último na regata final.

No ano passado, Bruno Prada havia sido campeão europeu, com o americano Augie Diaz, em Flensburg, na Alemanha. Em 2017, Torben Grael levou a melhor ao lado de Arthur, em San Remo (ITA).

Lars se despede do circuito com 13º lugar

Em sua última regata em uma competição internacional, Lars Grael chegou a ocupar a liderar no início da manhã, com o proeiro Pedro Trouche, mas enfrentou dificuldades a partir da segunda perna e fechou em 10º lugar, sua melhor marca no Europeu. Com o resultado, a dupla encerrou a fase classificatória em 13º, com 111 pontos perdidos, e não avançou para as finais.

Apesar da aposentadoria da vela internacional, Lars seguirá velejando de Star em competições no Brasil com o parceiro habitual Samuel Gonçalves.

A dupla só não está junta na despedida porque, devido à previsão do nascimento de sua filha para junho, na época do Mundial da classe, em Porto Cervo, o proeiro mudou toda a sua programação de torneios.

Samuel Gonçalves e o holandês Haico de Boer ficaram em 36º e também não se classificaram.

* O repórter viaja a convite da Star Sailors League (SSL)

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade