5 eventos ao vivo

Adama Traoré brasileiro? Guilherme Santos, do Botafogo, revela inspiração: 'No processo'

Apelidado do jogador do Wolverhampton-ING pelos companheiros, lateral do Botafogo afirma que espanhol pode ser um exemplo para a carreira

14 ago 2020
16h25
atualizado às 16h25
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Guilherme Santos está com moral com o elenco do Botafogo. O lateral-esquerdo era o personagem de uma entrevista para a "BotafogoTV", em Atibaia, quando foi chamado de "Traoré", em alusão a Adama, jogador do Wolverhampton-ING, pelos companheiros que passavam ao fundo. O brasileiro explicou o apelido.

(Foto: Vítor Silva/Botafogo e AFP)
(Foto: Vítor Silva/Botafogo e AFP)
Foto: Lance!

- É um cara que observo muito e gosto, apesar de ser de uma posição diferente. Ele tem muita força, evoluiu muito nesses últimos cinco anos e ao mesmo tempo é rápido. Ninguém é igual a ninguém, mas procuro tirar qualidade desses jogadores, temos que estar sempre aprendendo. Estou muito longe ainda de ser o Adama (risos), estou em processo - contou.

O Botafogo estreou no Campeonato Brasileiro com um empate diante do Red Bull Bragantino, fora de casa. O Alvinegro chegou em Pernambuco visando o duelo contra o Fortaleza, no próximo domingo, às 19h30, na Arena Castelão.

- Nunca podemos baixar a guarda. Sabemos como o Brasileiro é perigoso, não podemos relaxar em nenhum momento. Esse ponto foi importante, mas está longe do que almejamos. É manter os pés no chão, humildade, saber o peso da camisa que a gente veste. Em todos os jogos respeitam muito a camisa do Botafogo, e temos que ter vantagem dentro dos jogos - afirmou.

Veja também:

Os maiores artilheiros estrangeiros da história do Vasco
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade