PUBLICIDADE

Medalha de prata de Kelvin expõe racha no skate brasileiro

Skatista se sente desvalorizado pela confederação que cuida do esporte no Brasil; pais de atleta criticam entidade e veem filho menosprezado

25 jul 2021 22h40
| atualizado às 23h45
ver comentários
Publicidade

A medalha de prata conquistada por Kelvin Hoefler nos Jogos de Tóquio deixou clara uma divisão entre os atletas brasileiros do skate na Olimpíada. O brasileiro conquistou o segundo lugar na modalidade street na madrugada deste domingo, garantindo a primeira medalha brasileira na edição de 2021.

Kelvin Hoefler posa com medalha de prata no pódio dos Jogos de Tóquio
Kelvin Hoefler posa com medalha de prata no pódio dos Jogos de Tóquio
Foto: Toby Melville / Reuters

Kelvin e a entidade brasileira que cuida do skate, a Confederação Brasileira do Skate (CBSk), não se seguem nas redes sociais. Na postagem em que celebrou a medalha, a CBSk não marcou o perfil de Kelvin - segundo a skatista Letícia Bufoni, Kelvin bloqueou a CBSk.

Os pais do atleta, inclusive, criticaram a confederação. "Será que vocês agora vão respeitar o nosso filho ou vão continuar menosprezando ele? É nítido o que vocês estão fazendo, esta medalha de prata representa todo esforço e dedicação dele. Vocês deveriam ser menos imparciais. É uma vergonha o que vocês fazem com meu filho", escreveram Éneas Hoefler e Roberta Hoefler.

De acordo com informações do colunista Demétrio Vecchioli, do portal Uol, a razão para isso seria a insatisfação de Kelvin com atitudes da CBSk. Em período de treinos anterior à Olimpíada, alguns atletas próximos ao presidente da entidade, Duda Musa, teria tido privilégios, como contato com familiares e treinadores próprios.

Outra razão seria que Kelvin e Pâmela Rosa, sua amiga, tiveram pedidos negados para competir nos X-Games de Los Angeles - a CBSk teria justificado que a intenção era que todos viajassem juntos, como time. Contudo, Letícia Bufoni pode competir e venceu na sua modalidade, com um expressivo prêmio em dinheiro.

Kelvin Hoefler foi o primeiro a conseguir uma medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio.
Kelvin Hoefler foi o primeiro a conseguir uma medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio.
Foto: Reprodução/Instagram / Estadão Conteúdo

Após a medalha de Hoefler, Bufoni justificou no Instagram não ter dado parabéns ao colega afirmando que ele evitava estar junto com os colegas do skate e não ia nos "rolês". O próprio Kelvin confirmou que não vai a tantos eventos. Durante a disputa, ele comemorou principalmente com Pâmela Rosa; após a conquista, jantou com Giovanni Viana, outro skatista da modalidade street, o fisioterapeuta da CBSk e marcou o perfil da entidade.

Estadão
Publicidade
Publicidade