PUBLICIDADE

Thomaz e Petrúcio fazem dobradinha nos 400m, e atletismo brasileiro chega a 27 medalhas em Tóquio

Thomaz fez 47s87, melhor tempo de sua vida, enquanto Petrúcio cravou 48s04, melhor tempo dele na temporada. Thalita Simplício e Jerusa dos Santos vão ao pódio nos 200m

4 set 2021 13h04
ver comentários
Publicidade

O Brasil fez dobradinha no pódio dos 400m da classe T47, para atletas com deficiências nos membros superiores, nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Neste sábado, Thomaz Moares e Petrúcio Ferreira subiram juntos ao pódio ao ganharem a prata e o bronze, respectivamente. O ouro ficou com Ayoub Sadini, do Marrocos, com o tempo de 47s38, quebrando o recorde mundial.

Petrúcio Ferreira conquistou sua terceira medalha em Tóquio (Foto: Divulgação/Nissan)
Petrúcio Ferreira conquistou sua terceira medalha em Tóquio (Foto: Divulgação/Nissan)
Foto: Lance!

Thomaz, de apenas 20 anos, fez 47s87, melhor tempo de sua vida, enquanto Petrúcio cravou 48s04, melhor tempo dele na temporada. Já Lucas Lima, outro brasileiro na prova, terminou na sétima colocação, com 50s11.

Petrúcio garantiu sua terceira medalha no Japão. Ele já havia brilhado nas pistas japonesas, com direito a recorde mundial e medalha de ouro nos 100m da categoria T47 e prata nos 400m e no revezamento 4×100m.

Outra dobradinha brasileira em Tóquio do atletismo veio com Thalita Simplício e Jerusa Geber dos Santos, que conquistaram as medalhas de prata e de bronze, respectivamente, nos 200m (classe T11). A chinesa Cuiquing Liu venceu e Linda Perez Lopez, da Venezuela, ficou em quarto.

Cuiquing e Thalita chegaram a cruzar linha de chegada com o mesmo tempo na casa dos centésimos. A organização dos Jogos utilizou as casas dos milésimos para definir a campeã paralímpica. O tempo da chinesa foi de 24s936 e o da brasileira de 24s940. Já Jerusa dos Santos cravou 25s19.

- Sou nova e tem muita coisa para acontecer ainda. Mas por tudo o que o mundo passou, nesses últimos anos, esse ciclo vai ficar marcado. Se eu pudesse dividir, essa prata iria para muita gente, mas em especial esse cara aqui [do meu lado, Felipe Veloso da Silva, guia da atleta] e para a minha família, que está doida para eu voltar para casa e comemorar - disse Thalita Simplício.

Outro pódio na modalidade veio com o velocista fluminense Ricardo Gomes de Mendonça, bronze nos 200m, da classe T37, ao completar o percurso em 22s62. O pódio ainda foi composto pelo norte-americano Nick Mayhugh, medalhista de ouro (21s91), e por Andrei Vdovin, do Comitê Paralímpico Russo, que ficou com a prata (22s24).

O Brasil chegou à marca de 27 medalhas no atletismo, sendo oito ouros, oito pratas e 11 bronzes. Falta agora apenas as provas de maratona, que serão realizadas neste domingo, por volta das 6h30 (horário de Brasília).

Lance!
Publicidade
Publicidade