PUBLICIDADE

Resumo do dia: ouros e pratas no atletismo e tênis de mesa

Claudiney Batista e Elizabeth Gomes foram campeões; Vinicius Rodrigues, Alessandro Rodrigo e Bruna Alexandre ficaram em segundo lugar

30 ago 2021 09h36
| atualizado às 11h15
ver comentários
Publicidade

O Comitê Paralímpico Brasileiro tinha duas metas para a Paralimpíada de Tóquio: a primeira era se manter no top-10 do quadro de medalhas, o que está sendo alcançado por enquanto, mas só teremos certeza após o fim dos Jogos. A segunda era conquistar no mínimo 13 ouros, número que faria o País chegar a 100 medalhas douradas paralímpicas. Com a conquista de Claudiney Batista e Elizabeth Gomes, ambos no atletismo, já são 12, restando apenas uma para chegar ao número pretendido.

Claudiney Batista comemora a medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio Miriam Jeske CPB
Claudiney Batista comemora a medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio Miriam Jeske CPB
Foto: Miriam Jeske / CPB

Além da vitória de Claudiney, o Brasil conquistou mais três pratas: Bruna Alexandre foi derrotada na final do tênis de mesa, enquanto Vinícius Rodrigues e Alessandro Rodrigo conquistaram pratas no atletismo. Confira o resumo completo.

Atletismo

Claudiney Batista dos Santos se sagrou bicampeão paralímpico na final do lançamento de disco masculino F56 (atletas com lesão na coluna, que competem sentados). O brasileiro quebrou o próprio recorde nas Paralimpíadas, com 45.59m, e garantiu a terceira medalha paralímpica da carreira, a segunda dourada.

Elizabeth Gomes conquistou o ouro na prova do lançamento de disco F51/52/53. A brasileira conseguiu a marca de 15,68m logo na primeira tentativa e garantiu a primeira colocação pela classe F52.

Elizabeth Gomes bate o recorde mundial e fatura a medalha de ouro em Tóquio Wander Roberto CPB
Elizabeth Gomes bate o recorde mundial e fatura a medalha de ouro em Tóquio Wander Roberto CPB
Foto: Wander Roberto

Já na manhã, foi por muito pouco que Vinícius Rodrigues acabou com prata: chegou apenas um centésimo de segundo atrás do russo Anton Prokhorov na prova dos 100m rasos da classe T63 (atletas com amputações acima do joelho, que usam prótese).

Vinicius Rodrigues ergue a bandeira do Brasil ao conquistar a prata Athit Perawongmetha Reuters
Vinicius Rodrigues ergue a bandeira do Brasil ao conquistar a prata Athit Perawongmetha Reuters
Foto: Athit Perawongmetha / Reuters

Alessandro Rodrigo conseguiu outra prata no arremesso de peso, ao lançar para 13,09m na classe F11 (atletas cegos). O ouro foi para Mahdi Olad, do Irã e o bronze para Oney Tapia, da Itália.

Alessandro Rodrigo durante prova que rendeu a prata nesta segunda-feira Molly Darlington Reuters
Alessandro Rodrigo durante prova que rendeu a prata nesta segunda-feira Molly Darlington Reuters
Foto: Molly Darlington / Reuters

Tênis de mesa

Bruna Alexandre jogou bem, mas acabou sofrendo uma derrota para a australiana de origem chinesa Qian Yang na final da classe 10. A brasileira perdeu por 3 sets a 1, com parciais de 13/11, 6/11, 11/7 e 11/9. No tênis de mesa, as classes 1 a 5 são para cadeirantes e as classes de 6 a 10 para andantes, sendo que a classificação é feita com base na dificuldade motora dos atletas - quanto maior, menor a classe.
 

Bruna Alexandre vibra após conquistar a medalha de prata nesta segunda-feir Ivan Alvarado Reuters
Bruna Alexandre vibra após conquistar a medalha de prata nesta segunda-feir Ivan Alvarado Reuters
Foto: Ivan Alvarado / Reuters

Futebol de 5

O Brasil goleou o Japão por 4 a 0, gols de Nonato, Paraná e Ricardinho (2), tomou a liderança do grupo A e garantiu vaga nas semifinais. Antes do mata-mata, porém, o Brasil enfrenta a França pela última rodada da fase de grupos.

Ricardinho (10), capitão da Seleção Brasileira de futebol de 5 durante jogo nesta segunda-feira Takuma Matsushit CPB
Ricardinho (10), capitão da Seleção Brasileira de futebol de 5 durante jogo nesta segunda-feira Takuma Matsushit CPB
Foto: Takuma Matsushit / CPB

Goalball

A seleção feminina brasileira de goalball venceu o Egito, atual campeão africano, por 11 a 1 e garantiu a classificação para as quartas-de-final. Jéssica foi o nome do jogo, com oito gols. Nas quartas-de-final, o Brasil enfrenta a China.

Bocha

Na bocha, o Brasil teve alguns classificados e outros eliminados. Na classe BC1, José Carlos Chagas superou Tomar Kral, da Eslováquia, por 4 a 2, e se classificou. Maciel Santos, que venceu Claire Taggart, da Grã-Bretanha, por 8 a 1, já estava garantido na próxima fase da classe BC2. Eliseu Santos venceu Yuk Leung por 6 a 4 e também avançou na BC4. Evelyn Oliveira, porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura, derrotou o australiano Daniel Michel por 3 a 2 e avançou com 100% de aproveitamento.

Por outro lado, Guilherme Moraes, Evani Soares, Natali de Faria e Mateus Carvalho perderam e foram eliminados, mas ainda disputam na competição por equipes. Moraes chegou a jogar mais uma vez, e venceu, mas não foi o suficiente para se classificar.

Hipismo

Rodolpho Riskalla fechou sua apresentação no hipismo adestramento estilo livre em quinto lugar. O cavaleiro fez uma boa apresentação, mas não conseguiu voltar ao pódio em Tóquio, após levar uma prata no hipismo adestramento. Com o cavalo Don Henrico, o brasileiro somou 74.070. O ouro ficou com a holandesa Sanne Voets, com 82.085. Louise Jakobsson, da Suécia, com 75.935, e Manon Clayes, da Bélgica, com 75.680, completaram o pódio.

Tênis em cadeira de rodas

Meirycoll Duval acabou eliminada na segunda rodada, ao levar dois 'pneus' e é superada pela japonesa Yui Kamiji por 2 sets a 0 (6/0, 6/0). Com o resultado, ela se despede da disputa no simples feminino.

Tiro esportivo

Alexandre Galgani não conseguiu vaga para a etapa final da carabina de ar 10m SH2, na classe R4. Ele fechou as eliminatórias na 22ª colocação, com 622 pontos. Galgani ainda disputa outras duas provas do tiro esportivo nas Paralimpíadas de Tóquio.

Tiro com arco

Esperança de medalha do Brasil no tiro com arco, Jane Karla acabou eliminada nas oitavas de final do composto individual. Ela enfrentou a campeã mundial da categoria, a italiana Eleonora Sarti, que levou a melhor por 146 a 140. A brasileira havia garantido a classificação com a terceira melhor campanha na primeira fase.

Estadão
Publicidade
Publicidade