PUBLICIDADE

Brasil fica em último na final do 4x100m da natação no Japão

Equipe brasileira terminou em oitavo lugar na prova, que teve o time dos EUA garantindo a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio

26 jul 2021 00h41
| atualizado às 01h05
ver comentários
Publicidade

Na noite deste domingo, o Brasil, representado por Breno Correia, Pedro Spajari, Gabriel Santos e Marcelo Chierighini, disputou a final do revezamento 4x100m da natação masculina nos Jogos Olímpicos de Tóquio e encerrou a prova na oitava e última posição. O ouro ficou para o time dos Estados Unidos.

Equipe do revezamento dos Estados Unidos exibe a medalha de ouro no pódio
Equipe do revezamento dos Estados Unidos exibe a medalha de ouro no pódio
Foto: Michael Kappeler/DPA/Reuters

Se no início da disputa os brasileiros estiveram na briga pelas cinco primeiras colocações, a situação passou a ficar mais delicada na segunda troca de nadadores. A equipe ficou para trás em relação aos adversários, terminando em último lugar, com o tempo de 3min13s41.

Com destaque para Caeleb Dressel no time que também contou com Blake Pieroni, Bowen Becker e Zach Apple caindo na água, os norte-americanos conquistaram a vitória com a marca de 3min08s97, com uma certa vantagem para o time italiano, que assegurou a prata com o tempo de 3min10s11. O bronze ficou com o quarteto da Austrália, com 3min10s22. No final das contas, o tempo dos brasileiros foi cinco segundos mais lento que o dos norte-americanos. 

"Difícil falar do que fizemos errado. Tem que fazer na hora. Os outros melhoraram muito (em comparação às eliminatórias), nós pioramos. Tínhamos a expectativa de melhorar um pouquinho. Demos o nosso melhor. Mas ficamos bem abaixo do que pensávamos, do que a gente tem potencial", afirmou Chierighini, em entrevista ao canal SporTV.

Mais cedo, o brasileiro Murilo Sartori fechou a sua bateria na semifinal dos 200m livres na última colocação, com o tempo de 1min47s11, e não se classificou para a decisão. Já nos 100m costas, Guilherme Basseto foi eliminado nas classificatórias para a final com o tempo de 53s84.

Fernando Scheffer avançou à final dos 200 metros livre com o oitavo melhor tempo das semifinais: 1min45s71. Curiosamente, registrou tempo pior em comparação às eliminatórias, quando anotou 1min45s05. Em sua bateria, ele chegou a liderar a disputa no começo, mas terminou em terceiro. A final será na noite de segunda-feira, pelo horário de Brasília.

Já Guilherme Guido não conseguiu avançar nos 100 metros costas. Foi eliminado na semifinal, como aconteceu no Rio-2016. Ele foi o oitavo colocado em sua bateria, com 53s80. Assim como aconteceu com Scheffer e o revezamento, Guido se saiu melhor nas eliminatórias, com 53s65.

BICAMPEONATO OLÍMPICO - Nas demais disputas de medalha do dia, o britânico Adam Peaty se sagrou bicampeão olímpico nos 100 metros peito ao vencer a prova com o tempo de 57s37. Dominante neste estilo nos últimos anos, ele é o atual recordista olímpico e mundial. A prata ficou com o holandês Arno Kamminga (58s00) e o italiano Nicolo Martinenghi (58s33) levou o bronze.

LEDECKY PERDE - A sessão de finais deste domingo contou com uma grande decepção no feminino. A norte-americana Katie Ledecky foi superada nos 400 metros livre pela australiana Ariarne Titmus, que marcou 3min56s69. Ledecky precisou se contentar com a prata pela primeira vez em sua carreira em uma prova individual em Olimpíadas, com 3min57s36. A chinesa Bingjie Li levou o bronze, com 4min01s08.

Com cinco medalhas de ouro no currículo, ela nunca havia sido batida numa disputa individual desde Londres-2012, quando participou de apenas uma prova individual e foi ouro. No Rio-2016, foram mais quatro ouros, sendo três em provas solo e uma em revezamento. Ledecky vinha sendo hegemônica nos 400m, 800m e 1 500m tanto em Olimpíadas quanto em Mundiais desde 2012, quando surgiu com força na capital britânica.

Nos 100 metros borboleta, a canadense Margaret Macneil faturou o ouro, com 55s59. A chinesa Yufei Zhang levou a prata, com 55s64, e a australiana Emma McKeon ficou com o bronze, com 55s72. (com informações do Estadão Conteúdo)

Estadão
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade