PUBLICIDADE

Revezamento vai à final na natação; Scheffer e Guido estão na semi nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Revezamento 4 x 100 livre é uma das grandes esperanças de medalha na modalidade

25 jul 2021 10h26
| atualizado às 10h59
ver comentários
Publicidade

A natação brasileira garantiu, na manhã deste domingo, 25, vagas na semifinal masculina dos 200m livre, 100m costas e na final dos 4 x 100m livre nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. As provas decisivas serão disputadas à noite, a partir das 22h30.

O revezamento 4x100 metros livre passou para a final com o quinto tempo (3:12.59) das eliminatórias e está na briga por medalha. Breno Correia, Pedro Spajari, Gabriel Santos e Marcelo Chierighini ficaram atrás apenas dos times da Itália, EUA, Austrália e França. A equipe é uma das grandes esperanças de medalha.

Nos 200 metros livre, Fernando Schefer fez o tempo de 1min45s05 e vai disputar a semifinal entre os 16 classificados. Mesma sorte não teve Murilo Sartori, que ficou de fora, ao conseguir apenas 1min47s11.

Nos 100m nado costas, quem vai estar em ação é Guilherme Guido, que marcou 53s65 e obteve o 11º tempo. Ele fechou sua série em terceiro, atrás do chinês Jiayu Xu e do francês Mewen Tomac. O dono do melhor tempo foi o russo Kliment Kolesnikov, com 52.15s. Guilherme Basseto, com 53s84, ficou de fora. Dez anos mais novo que Guilherme Guido, Basseto agradeceu o apoio do companheiro que está na semifinal. "Ele [Guido] é 10 anos mais experiente e é o quarto ano da gente junto. Espero um dia eu quero ensinar para alguém um pouco do que ele me ensinou. É importante demais essa troca", disse Basseto após sua bateria.

Em 2016, o País conquistou o recorde de finais na história olímpica - oito -, além de participar de dez semifinais. Foram quebrados quatro recordes sul-americanos e um brasileiro. Mas ficou faltando subir ao pódio. "Nos Jogos do Rio, a natação ficou sem medalhas, e vamos em busca de voltar ao pódio e povoar as finais e semifinais", afirmou Renato Cordani, chefe de equipe da Natação no planejamento da preparação em Tóquio.

No feminino, a canadense, Summer McIntosh, de apenas 14 anos, cotada para chegar às finais e até conseguir uma medalha, terminou na terceira colocação nos 400 metros livres, dois segundos atrás da recordista mundial Katie Ledechy, dos Estados Unidos. A sul-africana Tatjana Schoenmaker bateu o recorde olímpico dos 100m peito na quinta bateria das eliminatórias, com 1:04:82.

Estadão
Publicidade
Publicidade