2 eventos ao vivo

Guerrero volta a cair nos braços da torcida do Inter

4 mar 2020
11h19
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O início de ano não estava muito bom para a relação de Guerrero com o Inter. Ele tinha feito apenas dois gols até então, em que pese um deles ter sido decisivo para o time chegar à fase de grupos da Libertadores – na vitória por 1 a 0 sobre o Tolima, semana passada, em Porto Alegre. Nessa terça (3), no entanto, se havia algum olhar enviesado por causa da pouca produção do atacante na temporada, ele mesmo tratou de desfazer isso. Marcou duas vezes e deu assistência para o outro gol dos 3 a 0 sobre o Universidad Católica, no Beira-Rio.

Paolo Guerrero, do Internacional, comemora seu gol na partida contra a Universidad Católica, pela primeira rodada do grupo E da fase de grupos da Copa Libertadores
Paolo Guerrero, do Internacional, comemora seu gol na partida contra a Universidad Católica, pela primeira rodada do grupo E da fase de grupos da Copa Libertadores
Foto: EVERTON PEREIRA/O FOTOGRÁFICO / Estadão

A torcida colorada voltou a reverenciá-lo como um dos ídolos mais recentes do Inter, deixando para trás o começo de ano sem brilho do atacante, o que se deu também no final de 2019, com atuações apagadas na reta final do Brasileiro.

Agora, Guerrero é o artilheiro do time em 2020, com quatro gols e tende a se adaptar melhor ao esquema ofensivo do técnico Eduardo Coudet. Nas quatro partidas das fases classificatórias da Libertadores, com o Inter superando Universidad Católica e Tolima, o treinador optou por uma equipe mais cautelosa, a fim de correr menos risco de eliminação. De certo modo, isso contraria o próprio estilo de Coudet, adepto de times que jogam para a frente o tempo todo.

Não é por acaso que no terceiro gol do Inter, nessa terça, numa assistência de Guerrero concluída por Marcos Guilherme, havia seis jogadores da equipe dentro da área, algo impensável para os quatro jogos anteriores da Libertadores.

Guerrero foi contratado pelo Inter após a Copa de 2018, para a qual obteve licença especial da Fifa a fim de atuar pela seleção do Peru – pesava contra ele denúncia de doping. Mas, pouco antes de sua estreia, em agosto, a Fifa o proibiu de jogar por seis meses. Portanto, só entrou em campo pelo Inter a partir de abril do ano passado. Começou muito bem, marcando nove gols em 13 partidas e caiu nas graças da torcida.

Depois, seu desempenho teve uma queda e ele iniciou 2020 cercado de expectativa. Parecia em câmera lenta, mas despertou contra o Tolima e principalmente nessa vitória de estreia do time na fase de grupos da Libertadores.

Veja também:

 

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade