PUBLICIDADE
Logo do Goiás

Goiás

Favoritar Time

Goiás aprova novo estatudo e cargo de presidente é extinto

O Goiás aprovou um novo estatuto e passará a ser gerido por Conselho Administrativo, abrindo caminho para virar SAF

24 nov 2023 - 07h34
(atualizado às 07h34)
Compartilhar
Exibir comentários
Goiás aprovou novo estatuto e pode virar SAF
Goiás aprovou novo estatuto e pode virar SAF
Foto: Divulgação/Goiás / Esporte News Mundo

Na noite da última quinta-feira (23), no Estádio Hailé Pinheiro, o Goiás aprovou um novo estatuto através de assembleia geral com os sócios proprietários. Participaram 268 associados. 197 votaram a favor, 71 contra. 

Com isso, abre-se espaço para o Esmeraldino se torne Sociedade Anônima do Futebol (SAF) e receba investimentos. Além disso, o novo estatuto extingue o cargo de presidente executivo e institui um Conselho Administrativo para cuidar da gestão. 

Para saber tudo sobre o Goiás, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.  

O cargo de presidente dará lugar a um conselho de administração, que será formado por cinco pessoas, sendo três delas de dentro do clube e duas contratadas no mercado externo. Desta forma, a próxima eleição no Goiás, marcada para dezembro de 2023, irá acontecer nos novos moldes. O mandato do presidente executivo Paulo Rogério Pinheiro termina em 31 de dezembro deste ano. 

O novo estatuto também prevê a criação de quatro diretorias (de futebol; administrativa e financeira; de iniciação esportiva; e de novos negócios e branding). Cada uma delas comandada por um diretor remunerado, e todos eles sob o guarda-chuva de um CEO. 

Os três membros de dentro do clube que formarão o Conselho Administrativo serão eleitos pelo Conselho Deliberativo, mas não poderão ter parentesco com nenhum atual dirigente do clube. 

Em entrevista coletiva realizada na quarta (22), o presidente do Conselho Deliberativo, Edminho Pinheiro, falou sobre a possível chegada de uma SAF e segundo ele, a ideia é colocar o Goiás para competir em igualdade na elite do futebol brasileiro.

"Um dos objetivos desse clube é, evidentemente, buscar um investidor para tentar competir no mercado do futebol brasileiro. Não vou dizer "de igual para igual", pois isso não vai acontecer. Temos aí o exemplo do Bahia, que investe obrigatoriamente R$ 10 milhões por mês em sua folha salarial e está disputando permanência (na Série A). Mas é praticamente unanimidade que este é o melhor encaminhamento para o Goiás, com os sócios-proprietários fazendo a confirmação". disse Edminho.

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade