0

Athletico não quis manter Tiago Nunes até o fim do ano

6 nov 2019
11h27
atualizado às 11h27
  • separator
  • 0
  • comentários

Tão logo acertou com o Corinthians, Tiago Nunes ainda alimentava a esperança de dirigir o Athletico nas rodadas restantes do Brasileiro. Pretendia assim uma despedida honrosa do clube que o projetou. Mas os dirigentes athleticanos estavam irredutíveis. Para eles, não fazia o menor sentido que o técnico permanecesse no clube até dezembro.

Foto: Marcello Zambrana/Agif / Gazeta Press

As razões eram simples. Até o encerramento da competição, por exemplo, o Athletico enfrentará três adversários diretos do Corinthians na luta por vaga na Libertadores: São Paulo, Grêmio e Santos.

Pode-se dizer que o time entraria para ganhar desses grandes em qualquer contexto. Mas, com seu técnico já contratado por outro clube, diretamente interessado nos resultados do Athletico no campeonato, seria mais prudente evitar o risco de críticas de outros coirmãos que lutam pelo mesmo objetivo no Brasileiro.

Com a classificação para a Libertadores assegurada por ter sido campeão da Copa do Brasil, o Athletico poderia tirar o pé do acelerador nas últimas rodadas. Com Tiago Nunes à beira do campo, diante da possibilidade de o Corinthians subir na tabela para disputar a competição sul-americana em 2020, tudo poderia mudar.

Ele trabalharia assim ao mesmo tempo para Athetico e Corinthians. Haveria portanto várias questões em jogo.

Se estivesse, por exemplo, disposto a fazer experiências no time da Arena da Baixada para a próxima temporada, caso continuasse no Athletico, como agiria a partir do acerto de sua transferência para o Corinthians? Continuaria escalando força máxima até o fim do Brasileiro, notadamente nas partidas que interessem ao time paulista? Tudo isso pesou na hora de o Athletico anunciar a sua demissão.

Veja também:

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade