PUBLICIDADE

Libertadores

Na Seleção, Diniz aponta lições com conquista da Libertadores: "Se tivesse perdido, não iria me considerar um fracassado"

6 nov 2023 - 19h07
Compartilhar
Exibir comentários

A conquista da Libertadores no comando do Fluminense não passou em branco durante a convocação da Seleção Brasileira. O técnico Fernando Diniz, que concilia o trabalho na Amarelinha com o Tricolor Carioca, apontou em coletiva de imprensa o que considera relevante ao alcançar títulos de grande porte.

Foto: Joilson Marconne / CBF / Gazeta Esportiva

"A conquista é sempre muito importante, todo mundo trabalha para conquistar os campeonatos, as grandes taças. O que eu aproveito nesses momentos é para falar aquilo que eu defendo durante a vida inteira: que o Boca Juniors não é um fracassado porque perdeu (a decisão da Libertadores), e se o Fluminense tivesse perdido eu não iria me considerar um fracassado. Embora muita gente da imprensa fosse achar um monte de defeito e tentar colocar aquele rótulo em quem perde. A gente tem essa cultura, à qual eu luto para que ela mude", afirmou.

Em seguida, o técnico frisou que a conquista de um título não condiciona se o profissional ou equipe é melhor que o seu adversário. Para ele, vale mais a valorização daqueles que trabalham "direito, com honestidade, integridade e ética".

"Temos que apontar o dedo para quem trabalha direito, com honestidade, integridade, ética… E não porque ganhou uma taça, uma Libertadores, ou quiçá um campeonato do mundo. Isso não quer dizer que a pessoa é melhor que as outras. Quer dizer que ela é melhor que a outra naquele momento. Nem sempre o melhor ganha. Afinal, nem sempre o que faz o melhor trabalho sai com a taça", declarou.

Por fim, Diniz explicou como enxerga o futebol e a vida. O comandante do Brasil e do Fluminense afirmou que diversos trabalhos são desvalorizados quando não alcançam o primeiro lugar nas competições.

"Inúmeros trabalhos são desvalorizados de maneira cruel. A gente vive numa sociedade que premia o dinheiro e premia só o primeiro colocado. Então eu garanto a vocês que se a gente não tivesse vencido a Libertadores, a gente estaria remando, procurando lá onde têm os problemas para poder melhorar e evoluir. E essa tem sido a minha vida, a maneira como eu vivo e a maneira como eu quero continuar vivendo", completou.

Com Diniz à beira do gramado, o Fluminense volta a campo nesta quarta-feira para enfrentar o Internacional, às 19 horas (de Brasília), no Beira-Rio, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe tem 45 pontos e está na oitava colocação. Já a Seleção Brasileira joga nos dias 16 e 21 de novembro, contra Colômbia e Argentina, respectivamente.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Compartilhar
Publicidade
Publicidade