0

Willian diz que até comida está acabando na Inglaterra

Meia espera autorização do Chelsea para voltar ao Brasil e ficar perto da família

20 mar 2020
08h11
atualizado às 10h21
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Willian está cumprindo seu papel. Desde que recebeu a ordem para entrar em quarentena, o jogador não saiu mais de casa. "Hoje (quinta) completa sete dias que eu estou em casa, sem sair pra nada, nem descer aqui na academia do prédio. Isolamento total mesmo. Uma experiência que eu nunca tinha vivido antes", contou o brasileiro, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

Willian está em quarentena em Londres, na Inglaterra
Willian está em quarentena em Londres, na Inglaterra
Foto: Hannah Mckay / Reuters

Por telefone, Willian explicou que está isolado, de fato. Pois sua família viajou ao Brasil antes do conoravírus se tornar uma pandemia. Agora, o atleta do Chelsea espera do clube a compreensão da situação para poder deixar a Inglaterra.

"No momento eu estou sozinho. Minha esposa e filhas estão no Brasil. Eu tinha feito uma programação antes disso tudo. Elas iam na frente, eu ia ter uma folga e ia também. Agora, estou vendo aqui, se tem autorização do clube", explicou.

"A gente está decidindo, elas estão para voltar para cá, mas como teve uma reunião e teve uma definição aqui, adiaram o campeonato até 30 de abril… Com esse fato, estou tentando autorização do clube para poder ir. Expliquei a situação, estou tentando autorização. Soube que jogadores de outros clubes estão indo para o Brasil também, de repente ficar perto da família nesse momento".

Antes de falar sobre as notícias do Brasil que têm chego a Londres, Willian alertou para a situação da capital inglesa.

"Nos mercados, está acabando tudo, não tem mais comida. É como se fosse uma guerra", afirmou. "Eu tenho funcionários aqui em casa. Eles fazem esse trabalho, com muito cuidado. Estou comprando para deixar aqui em casa e ninguém precisar ficar saindo. Quanto menos sairmos, melhor, para também não pôr em risco os funcionários".

Por meio da imprensa e de seus familiares, Willian tem se informado e se surpreendido pela maneira como alguns brasileiros estão encarando a pandemia.

"Realmente é preocupante. Acompanho as notícias. Acho assim: se as pessoas tiveram consciência, responsabilidade, respeitar, acatar as ordens, ficar em casa, se cada um fizer o que tem que ser feito, não vai acontecer o que aconteceu na Itália. Mas, eu vi umas notícias, pessoas com vírus, sabia que tinha e não ficou na quarentena…"

O Chelsea já tem um caso confirmado de infeção ao Covid-19. Aliás, Willian explicou que este foi o estopim para os Blues decidirem paralisar todas as atividades.

"A gente jogou contra Everton, em casa, e o Callum Hudson-Odoi foi nesse jogo. Ele estava fazendo tratamento. Na segunda, tivemos folga e nos reapresentamos na terça. Na terça mesmo ele já não foi. Perguntamos e o pessoal falou que ele tinha tido febre e suspeita de coronavírus. Ai treinamos terça, quarta, e na quarta à noite o pessoal do clube já mandou mensagem, no Whatsapp, dizendo 'quinta ninguém aparece no clube, porque vão fazer uma limpeza'. E ficamos em casa. Na quinta à noite soltaram a notícia que o Callum tinha dado positivo, e a partir daquele dia o clube disse que não era para mais ninguém sair de casa e tirar os filhos da escola até segunda ordem".

Agora, apesar da previsão do reinício da Premier Legue para maio, a verdade é que tudo vai depender da evolução no combate ao coronavírus.

"De alguma forma estou tentando treinar aqui em casa. Não é fácil sair da rotina, não tem muito o que fazer, mas a gente tenta manter e ficar aqui dentro. Um tempo difícil que estamos vivendo, a gente espera que cada pessoa tenha a sensibilidade de poder ajudar o próximo", concluiu o atleta da Seleção Brasileira.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade