PUBLICIDADE

Liga dos Campeões

Convocados de Dorival Júnior na seleção brasileira perdem pênaltis e eliminam Porto na Champions

Em Londres, Wendell e Galeno são os vilões de eliminação nos pênaltis do time português pelo Arsenal

12 mar 2024 - 20h15
(atualizado às 20h19)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Getty Images

O lateral-esquerdo Wendell e o atacante Galeno desperdiçaram cobranças decisivas em disputa de penalidades com o Arsenal e foram eliminados com o Porto nas oitavas de final da Champions League. Os dois foram convocados pelo técnico Dorival Júnior para defender as cores da seleção brasileira em amistosos diante de Inglaterra e Espanha neste mês de março.

No tempo normal, o Arsenal venceu por 1 a 0, com gol de Leandro Trossard ainda na primeira parte. Como o placar no jogo de ida também foi 1 a 0, o duelo foi para os pênaltis. Odegaard, Havertz, Rice e Saka anotaram para os ingleses. Pelo Porto, Wendell parou no goleiro Raya. Pepe e Grujic converteram, mas Galeno perdeu a penalidade decisiva que eliminou os portugueses, confirmando o placar de 4 a 2 para os mandantes.

O Arsenal selou sua classificação às quartas de final após 14 anos de ausência. Na última vez que esteve nas quartas de final, na temporada 2009/2010, o Arsenal eliminou justamente o Porto nas oitavas. Neste ano, repetiu o feito.

O time inglês começou o duelo em toda a velocidade e criou boas chances com Ödegaard e Saka, mas o Porto não ficou só assistindo e ameaçou com Evanilson, que mandou rente à trave.

A superioridade do Arsenal foi confirmada aos 40 minutos, quando Ödegaard fez linda jogada na entrada da área ao passar por dois marcadores e deixou Trossard na cara do gol. O atacante belga chutou rasteiro para fazer 1 a 0.

No segundo tempo, o Arsenal chegou ao segundo aos 21 minutos com Ödegaard, mas a arbitragem anulou o lance ao pegar falta de ataque. O Porto respondeu na sequência em um arremate seco de Evanilson. David Raya defendeu.

Apesar de toda a pressão do Arsenal, o Porto se manteve firme e conseguiu levar o duelo para a prorrogação, já que em casa havia vencido pelo mesmo placar. No primeiro tempo, porém, pouca emoção. O Porto continuou bem armado defensivamente e segurou o resultado. No segundo tempo, o jogo continuou truncado e foi para os pênaltis.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade