PUBLICIDADE

Clubes ingleses decidem não liberar jogadores para seleções

Os clubes não irão liberar jogadores convocados para países que estão na lista vermelha contra a covid-19 do Reino Unido

24 ago 2021 16h00
| atualizado às 16h07
ver comentários
Publicidade

Os clubes do Campeonato Inglês não irão liberar jogadores convocados para atividades internacionais em países que estão na lista vermelha contra a covid-19 do Reino Unido para evitar que tenham de ficar em quarentena no seu retorno à Inglaterra, informou a liga inglesa nesta terça-feira.

De acordo com a liga, cerca de 60 jogadores estavam para viajar a 26 países da lista vermelha durante o intervalo para as partidas das seleções em setembro, que inclui as eliminatórias da Copa do Mundo.

O assunto veio à tona na segunda-feira, quando a Federação Egípcia de Futebol disse que o Liverpool se recusou a permitir que Mohamed Salah viajasse à África para as eliminatórias da Copa do Mundo.

Premier League promete não liberar atletas para jogos em países da lista vermelha britânica (Facebook/Everton)
Premier League promete não liberar atletas para jogos em países da lista vermelha britânica (Facebook/Everton)
Foto: LANCE!

"Os times da liga inglesa hoje relutantemente, mas unanimemente, decidiram não liberar os jogadores para jogos internacionais disputados em países da lista vermelha no próximo mês", disse a liga em comunicado.

"Discussões extensas ocorreram com a FA (federação inglesa de futebol) e o governo para encontrar uma solução, mas devido às preocupações atuais de saúde pública relacionadas aos viajantes que chegam de países da lista vermelha, nenhuma isenção foi concedida."

O governo britânico exige que as pessoas que chegam de países da lista vermelha fiquem 10 dias em quarentena. Os jogadores do Campeonato Inglês perderiam potencialmente duas partidas caso ficassem de quarentena no retorno ao país.

"Os clubes, com relutância, mas com razão, chegaram à conclusão de que seria totalmente irracional liberar jogadores nestas novas circunstâncias", disse o presidente-executivo da Premier League, Richard Masters.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade